domingo, 28 de abril de 2013

Notícia - @MarceloTas: a Televisão precisa entender a internet


A internet já faz parte do nosso cotidiano há algum tempo, mas por incrível que pareça, para o mundo da televisão é uma novidade. A interação entre os dois meios ainda está em fase de teste. O modo Broadcasting das telas ainda não se acostumou com a resposta imediata do público. Marcelo Tas contou para o blog do CQC a importância que a interatividade em rede tem tanto para o programa quanto para o telespectador.

Durante a transmissão de um show na TV, é possível estar online ao mesmo tempo e comentar o que está passando na tela. E o homem de preto relembra casos em que essa interação mudou até algumas coisas de dentro dos estúdios. "O slogan do CQC, que é o 'programa da família brasileira' veio das redes e eu pude perceber que as pessoas assistiam ao programa juntas, online. Elas comentam até as coisas mais prosaicas possíveis, por exemplo, na primeira temporada muita gente não gostava do brilho dos cenários e do movimento de câmera. É ai que você vê o quanto esse pessoal está de olho", conta Tas. 

Claro que nem tudo que é publicado, é levado em consideração ou modificado no programa. "Eu não levo isso como uma verdade, tem que saber ler essa resposta. Não dá para você achar que quem está nas redes é a maioria das pessoas, porque não é, é uma parcela", explica sobre ponderar tudo o que recebe. Mas, em contraponto, o feedback instantâneo pode ajudar, assim o líder da bancada complementa: "durante o programa ao vivo, quando tem algum assunto que eu fiquei em duvida, eu gosto de olhar como uma referência, ver o que eles comentaram. Às vezes você está meio sem noção do que rolou, então é bom ouvir".

Além das redes sociais, o CQC também conta com o Blog que mantém as informações atualizadas sobre o que rola no programa. "Eu acho perfeito, é muito legal a Band investir e ter cuidado em ter o blog, em ter todos os videos organizados ali, um lugar onde as pessoas conseguem falar com o programa, desde vir à plateia até falar com o Proteste Já. Creio que a televisão precisa entender o momento que a gente esta vivendo, de realmente ouvir o telespectador. A televisão tem a natureza broadcasting, de transmitir e só, sempre foi assim. Ela está diante de uma novidade, ao invés de só transmitir, também pode receber e isso modifica o que ela pode transmitir", conclui Marcelo Tas.

Nenhum comentário: