segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Em entrevista exclusiva, Marcelo TAS fala sobre a queda de audiência do CQC, Dani Calabresa e saída de Monica Iozzi da atração


Marcelo Tas, considerado uma das personalidades mais influentes de 2013 segundo a revista Forbes, teve uma longa carreira com passagens por diversas emissoras de televisão. Porém foi em programas como o “Telecurso” da Globo e “Castelo Rá-Tim-Bum” da TV Cultura que o apresentador marcou época e consolidou seu talento na frente da telinha.
Atualmente ele comanda o “CQC”, ou como queiram “Custe o que Custar”, formato de grande sucesso na Argentina que aqui no Brasil, caiu nas graças do público desde sua estreia em 2008 na Band.
Em entrevista exclusiva para o TV FOCO, Tas falou sobre a recente anunciada saída de Monica Iozzi da atracão, Dani Calabresa, e também sobre a queda de audiência sofrida pelo programa neste ano de 2013. Por fim, Tas ainda mandou um recado para os leitores do TV FOCO
.
Confira:
TV FOCO: Gostaria que você fizesse um balanço do “CQC” nesse ano de 2013, como você avalia o desempenho do programa, tanto em termos de audiência quanto em repercussão?
Tas: A avaliação é amplamente positiva. São poucos os programas da TV brasileira que já ficaram seis anos, ininterruptamente no ar, fazendo o barulho que faz o CQC. Neste período, ultrapassamos vários desafios pelo caminho e conquistamos o respeito de colegas da mídia e das autoridades máximas do pais. Mesmo quem tem restrições ao programa não tem como negar que o CQC virou uma referência para o jornalismo e humor brasileiros. Quanto à audiência, desde a estreia, em 2008, tivemos médias anuais de audiência sempre crescentes, com exceção deste ano. Em 2013, não apenas a Band, mas toda a TV aberta sofreu uma queda na sua audiência média. É preciso entender este movimento. A tendência é que a audiência média das TVs abertas continue em ritmo decrescente. O motivo é óbvio: antes, só havia TV e agora, em pouco tempo, as pessoas ganharam várias outras telas dentro e fora de casa. Na minha visão, a TV aberta tem dois grandes desafios: não subestimar a revolução digital e fazer parte dela!

TV FOCO: Como você vê a saída de Monica Iozzi da trupe, acredita que será uma grande perda? E como a equipe reagiu ao saber que ela iria se dedicar a outros projetos?
Tas: Fui um dos que mais lutou para a Monica entrar no CQC. Ela não era comediante, não era jornalista, era apenas esse adorável bichinho do mato que hoje o Brasil conhece. Eu gostava e gosto dela justamente por conta de não ser uma pessoa previsível. Ela soube desenvolver seu talento com a ajuda da nossa equipe e vai deixar uma marca importante no programa. Ao contrário de Rafinha e Cortez, Monica procurou a equipe para que fossemos os primeiros a saber da sua decisão de tomar novos rumos. Isso também aconteceu com o Danilo Gentili, quando ele resolveu partir para o Agora É Tarde, e essa atitude muda tudo. Sentimos a perda, mas creio que a saída dela vai fazer bem para ela e para o CQC. Fazer TV exige muito, não dá fazer pela metade, com a cabeça em outro lugar. Amamos a Monica, ela sabe disso, e desejamos de coração que ela consiga superar logo esta fase difícil de ser apenas um ex-CQC.

TV FOCO: Dani Calabresa entrou no programa nesse ano, para você o saldo é positivo?
Alguns telespectadores disseram que ela teve pouco espaço na atracão. Com a saída de Oscar Filho da bancada, existe a chance dela dividir a apresentação do programa?
Tas: Dani é uma comediante preciosa e provou isso no programa. Depois de um início de ano difícil, é natural porque não é fácil vestir a camisa da bagaça, superou as dificuldades com talento e trabalho. Também creio que ela possa avançar e conquistar mais espaço no CQC. Vai depender muito mais dela que de qualquer outra pessoa.

TV FOCO: Por fim, pode nos antecipar alguma novidade do programa para 2014?
Tas: Teremos muitas. Quem viver, verá! Aproveito para agradecer os seus leitores pelo carinho e audiência de desejar um excelente 2014 a todos!

Fonte: Site TV Foco

Nenhum comentário: