segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Marcelo Tas cometa sobre os planos após deixar a bancada do CQC

Após anunciar sua saída do comando do programa CQC, da Band, Marcelo Tas concedeu uma entrevista para a colunista Patrícia Kogut, do O Globo, e falou sobre os planos para o futuro. Entre eles está resgatar o personagem Ernesto Varela, seu repórter de mentira.
Sobre sua passagem pelo CQC, Marcelo confessou que só tirou boas experiências.
“O saldo é muito positivo. Curiosamente, o CQC me possibilitou reinventar minha trajetória com uma mistura de jornalismo e humor que foi a mesma usada por mim e pelo (diretor) Fernando Meirelles na criação do repórter Ernesto Varela, meu primeiro trabalho na TV, nos anos 1980 (ele e Meirelles faziam parte da produtora Olhar Eletrônico). O encontro com a Band e os argentinos (criadores do programa CQC) nos anos 2000 ampliou a plataforma para a criatividade e o sucesso comercial, sou grato a ambos por isso. Pode-se e deve-se criticar o programa, mas é inegável sua influência no humor, no telejornalismo e até na publicidade no Brasil. Sem contar a nova safra de talentos inegáveis revelados pelo CQC”.
Com relação ao motivo pelo qual resolveu sair e as brigas de bastidores com outros integrantes, Tas afirma que não há magoas.
“No último ano, a necessária renovação permanente encontrou os limites da rigidez do formato argentino. Senti que era a hora de passar o bastão por não ter como colaborar de forma relevante para a evolução do projeto dentro desse cenário. O que aconteceu foi o que se passa com os casamentos longos. Houve, em sete anos, crises e discussões. Estou aqui falando de Rafinha (Bastos), Monica (Iozzi), Danilo (Gentili) e dos outros que ficaram mais tempo no programa comigo. Mas todas elas foram resolvidas na hora, com boas conversas. Não há mágoas”.
Além disso, Marcelo afirma que está criando o Varela Upload, fazendo a história do repórter virar site e DVD.
“O nome do projeto é Varela Upload porque descobri que upload, que significa publicar informação na era da internet, é uma palavra surgida no mesmo ano do Varela: 1983! Mais de 30 anos depois, o acervo será recuperado e publicado graças a essa tecnologia. O principal parceiro é o Instituto Itaú Cultural, onde acontecerão exposição, mostra e debates, no segundo semestre do ano que vem. Também será editado um DVD pelo Instituto Moreira Salles”.
Tas também está focado para iniciar o projeto de um jogo em 2015.
“Começo 2015 com a criação de um game chamado Humano, para o futuro Museu do Amanhã, no Rio; e o lançamento do Tasômetro, plataforma de conteúdo em que vou interagir com estudantes para tentar entender temas complexos da realidade numa linguagem mais simples”.
Fonte: Terra

Nenhum comentário: