quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

FOTOS: Marco Luque chora ao falar do fim do 'CQC' no último programa: 'Obrigado!'

Marco Luque se emocionou ao falar do fim do 'CQC' e foi consolado por Rafael Cortez nesta segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Marco Luque chorou ao falar do fim do 'CQC'. A atração não irá ao ar em 2016 por decisão da Band: 'Obrigado a oportunidade de conhecer pessoas. De se envolver em um projeto fera desse tipo. De tudo'

Marco Luque mostrou resultado de enquete feita na Internet. Telespectadores elegeram o fim do 'CQC' como pior notícia do ano

Rafael Cortez também lamentou o fim do 'CQC', durante o último programa ao vivo do ano: 'Aonde quer que eu vá, vou levar essa história comigo'

Rafael Cortez exibiu camisa com a logotipo do 'CQC' estampada

Rafael Cortez lembrou o início do 'CQC' em março de 2008: 'A gente estava com um tesão desgraçado de fazer esse programa como sempre tivemos'

Marco Luque chorou ao falar do fim do 'CQC'. Atração só volta ao ar em 2017


Clima de tristeza no último programa CQC da Band

Emoções fortes rolaram na transmissão do último CQC , na segunda-feira (21), na Band.

O apresentador Marco Luque caiu em prantos quando foi anunicar a pior notícia do ano, segundo uma enquete feita com telespectadores do programa. 

 Luque não guentou e soltou um desbafo: "Cara, que f..., último CQC ao vivo. Queria só agradecer. Obrigado a todo mundo. Obrigado pela oportunidade de conhecer pessoas, de se envolver em um projeto fera desse tipo. De ter passado esses oitos anos aqui...da equipe inteira, obrigado. E o fim do CQC foi a pior notícia do ano", disse. 

Além dele, Rafael Cortez também se manifestou lembrando da estreia do CQC, em 18 de março de 2008. Ele mostrou uma camiseta, que segundo ele foi usada no primeiro programa. "Nos dois anos que fiquei na Record, morri de saudade disso. Vou continuar pra sempre com o CQC estampado no peito. Pra onde quer que eu vá, vou levar essa história comigo", afirmou. 

A Band anunciou recentemente que o CQC vai dar uma pausa em 2016 para descansar o formato que já existe há quase oito anos no Brasil. O único da trupe que será mantido na emissora é o ator Dan Stulbach.

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Humoristas dispensados do "CQC" tiram sarro e pedem emprego no ar

Elenco não perdeu a piada e fez graça com a demissão em massa do elenco do jornalístico 


Parece que o final do ano chegou de verdade para os humoristas do "CQC". No programa de segunda-feira (14), os apresentadores e repórteres tiraram sarros de si próprios após a demissão em massa do elenco. Único que não foi dispensado pela Band, Dan Stulbach surgiu sozinho na bancada. 

Pouco depois, Rafael Cortez e Marco Luque apareceram dizendo que voltavam de uma entrevista de emprego. Stulbach então apresentou Cortez como o "mais novo desempregado do pedaço". Em uma referência a ex-colega Monica Iozzi que migrou para Globo, Cortez pediu emprego no ar: "Boninho, me leva". 

Antes de a atração ir ao ar, o apresentador do "CQC 3.0" Maurício Meirelles fez piada com o fim do programa e disse o elenco não terá mais de aturar político bandido, nem puxar saco de celebridade. Meirelles finalizou o discurso dizendo que as outras emissoras terão grandes talentos à disposição. "Mas não será nenhum de nós", ironizou. 

 Em seguida, ao lado de Luque, ele ainda tirou sarro dos humoristas dispensados. Analisou os currículos de cada um e sugeriu possíveis recolocações no mercado. Disse que Luque poderia virar boneco de posto, Cortez, animador infantil, e Juliano Dip daria um bom vendedor de churrasco grego.

"Ano sabático" Depois de oito anos na grade da Band, o "CQC" sairá do ar em 2016. Em nota divulgada a imprensa na última quarta-feira (9), a emissora informa que decidiu dar "um descanso aos homens de preto" e que o humorístico ganhará um "ano sabático" para "voltar com mais força" em 2017. 

Com 339 episódios ao longo de oito anos, o "CQC" revelou talentos como Rafinha Bastos, Monica Iozzi, Danilo Gentili, Oscar Filho e Felipe Adreoli e contou com participações de nomes como Dani Calabresa e Marcelo Tas. 

Fora da bancada do programa, Dan Stulbach está cotado para uma nova atração em 2016, "História não Escrita", que vai contar as principais passagens históricas a partir do descobrimento do Brasil. O último "CQC" vai ao ar no dia 28 com a retrospectiva dos melhores momentos do ano.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Repórter do "CQC" é disputado por dois departamentos na Band

O repórter Juliano Dip, atualmente no "CQC", vai migrar para o jornalismo da Bandeirantes em 2016. Pelo menos este é o desejo inicial da emissora, uma vez que o programa das noites de segunda-feira não será apresentado na próxima temporada.

Dip foi muito elogiado internamente devido ao trabalho na cobertura da tragédia de Mariana, em Minas Gerais, mas o jornalismo da Band não será sua única opção no ano que vem. Uma ala da Eyeworks, dona do "CQC", defende também sua entrada no elenco de "A Liga", para trabalhar ao lado de Mariana Weickert e Thaide. A definição vai acontecer nos próximos dias. 

Ainda sobre o "CQC", apesar de a Band ter garantido em comunicado que o programa voltará em 2017, 9 entre 10 profissionais envolvidos no programa não estão acreditando muito nessa história de ano sabático. Para eles, a atração, que terá sua última edição ao vivo dia 21, acabou e pronto. Em todo caso, a versão da emissora é outra e convém aguardar.

Rafael Cortez fala sobre fim do CQC e brinca com a Globo

Repórter disse que está disponível para novos projetos 

 Nesta semana, foi informado que o CQC não acabou, mas que tirará um “ano sabático” em 2016, saindo da grade da Band. 
Apesar de otimista com a volta do programa, Rafael Cortez não fecha as portas para outras emissoras e brincou até com diretor da Globo, Boninho, em entrevista ao programa Morning Show, da Rádio Jovem Pan. Na conversa, ele falou sobre o retorno do programa em 2017 e que a Band sempre cumpre o que promete. 
Porém, ele revelou que está disponível, caso outras emissoras queiram contratá-lo. Ele aproveitou a oportunidade para brincar com Boninho. "Ei você da Globo que me ouve! Estamos aí! Está me ouvindo Boninho?! (risos)", falou Rafael na rádio. O apresentador afirmou que o principal fato para o “fim” do CQC é a crise, mas também disse que a audiência não estava correspondendo, o número de anunciantes no programa não era significativo e que as pessoas teriam “cansado” do CQC. "O público vinha mostrando sinais de desgaste com esse projeto há algum tempo, as pessoas ficaram cansadas do CQC e é um processo natural. Eu não levei como algo pessoal e não fiquei chateado", disse.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Após o cancelamento do “CQC”, Dan Stulbach dispara: “O programa já estava cansativo”


Como já informado, a Band pegou todos de surpresa ao anunciar que o “CQC” estaria fora da grade de 2016, e que praticamente todo o elenco seria dispensado. 

Em entrevista para a coluna do jornalista Flávio Ricco, o apresentador do programa, Dan Stulbach, revelou que já havia um desgaste, mas que vai sentir falta do programa. “Sim. O programa já estava cansativo. […] Vou sentir falta do “CQC” no ano que vem”. 
Questionado sobre o recebimento da notícia, ele revela que foi pego de surpresa. “... (terça, 8), Diego Guebel, diretor da Bandeirantes, marcou uma reunião para a manhã desta quarta e fomos comunicados oficialmente sobre a decisão da emissora em não exibir o programa no ano que vem. Claro que fui pego de surpresa, porque gosto muito de fazer o “CQC”. Apesar de estarmos em um período de decisões, ninguém esperava”. 

Dan conta que estava até preparando uma festa de fim de ano. “Eu já estava inclusive combinando uma confraternização com toda a equipe do programa, um churrasco, para sexta-feira e vou manter o encontro. Será um momento para discutirmos tudo o que aconteceu”. 

 O ator diz que acredita que o programa volte. “Pelo menos foi o que o Diego me garantiu. Acredito no Guebel e não tem porque pensar diferente. Será um ano sabático para o programa. Vamos ao vivo até o dia 21 de dezembro e no mesmo dia gravaremos um especial, uma retrospectiva com os melhores momentos deste 2015”. 
Dan Stulbach e Diego Guebel da Band 
Ele espera que a Band desenvolva mais projetos de dramaturgia, com o fim do programa. “Inicialmente faremos uma série sobre história que pode chegar a seis capítulos. A duração vai depender do rendimento. O projeto é “História não escrita”, que vai contar as principais passagens históricas a partir do descobrimento do Brasil. Esta já está fechada, mas adoraria também desenvolver um roteiro de ficção. Trabalhar em um núcleo de dramaturgia foi algo já proposto durante a minha contratação, adoraria desenvolver esse trabalho na Band”. 

 No entanto, o ator acredita que no próximo ano possa estar livre no mercado de TV Aberta. “É provável que eu venha a trabalhar também em uma outra emissora aberta em 2016, uma vez que não terá a exclusividade do “CQC”, e sigo ainda com a ESPN, teatro e a rádio CBN. Tudo isso será discutido amanhã. A ideia é que eu desenvolva esses projetos sem ter exclusividade com o canal”.

Cancelamento do “CQC” pode indicar mudanças importantes na Band

Esta semana, a Band pegou muita gente de surpresa – inclusive funcionários – anunciando um “ano sabático” para o “CQC”, ou seja, o programa sairá do ar no final deste ano e deve voltar apenas em 2017. De acordo com o colunista José Armando Vanucci, apesar da promessa partir diretamente de Diego Guebel, um dos diretores da emissora, nos bastidores, pouca gente acredita que a atração voltará à grade de programação, já que praticamente toda a equipe, incluindo os repórteres, se desligarão do projeto. 

Segundo consta, o “fim” do “CQC” pode ser um sinal de mudanças administrativas importantes na Band. Isso porque, já há algum tempo, há rumores de que o grupo Warner vem negociando com executivos para comprar parte da emissora, de olho na área de entretenimento do canal. 
As suspeitas surgem principalmente porque o “CQC” é um dos principais programas da emissora, e é de propriedade intelectual da produtora argentina Eyeworks Cuatro Cabezas, braço direito do canal. 

Nos bastidores, alguns funcionários brincam dizendo que a Band passou a olhar menos para a Argentina e mais para os Estados Unidos, se referindo as negociações do canal com a Warner. Por outro lado, alguns vivem clima de apreensão. Muitos profissionais temem o modo de administração do grupo norte-americano em caso de acordo.
Elenco do CQC

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

"Renovação em TV é fundamental", diz Marcelo Tas sobre fim do CQC

Com autoridade de quem comandou a bancada do "CQC" por sete anos, Marcelo Tas afirma que, mesmo fora da TV em 2016, o programa deixa um saldo "extremamente positivo". 




 "O CQC contribuiu para renovação do humor brasileiro, vários novos talentos foram revelados e trouxe um novo frescor e irreverência à linguagem telejornalística, sobretudo para a cobertura política", afirmou Tas. Para o apresentador, é natural o final do ciclo. "Sou grato pelos sete anos que lá estive e desejo o melhor para meus ex-colegas de bagaça. Renovação em TV é fundamental, na frente e atrás das câmeras. O CQC acabou? Viva o CQC!", disse. 

Convocado para uma reunião nesta quarta com o diretor da TV Bandeirantes, Diego Guebel, Marco Luque foi informado sobre o fim do "CQC". 

O apresentador do programa confirmou ao UOL a surpresa com a decisão da emissora. "Fomos surpreendidos com a notícia, mas era uma possibilidade. Todo final de ano existe essa preocupação com relação à grade da próxima temporada. Existe uma avaliação das atrações e todo mundo fica na expectativa, na torcida. Nós não esperávamos porque nessa reta final o CQC estava indo muito bem. Televisão é isso", explicou Luque que estava ao lado de Maurício Meirelles e Rafael Cortez no encontro com os diretores. 




Meirelles também lamentou o fim do programa que é inspirado em um formato argentino. "Estou triste pelo fim do projeto, mas não pessoalmente. Na TV é assim que funciona... É uma profissão como qualquer outra. Dá certo continua, dá errado termina", afirmou o repórter para o colunista Flávio Ricco, do UOL. 



Luque confirmou que a direção da Bandeirantes garantiu que só seria um ano sabático para a turma do CQC. Em 2017, existe a possibilidade de um retorno. Um dos mais antigos integrantes do programa, que estava no ar há oito anos, ele não escondeu uma certo decepção. "Estou chateado e triste porque é uma perda, uma dor para nós integrantes de um programa que revolucionou a televisão brasileira. Foram oito anos de sucesso, sim, e isso é que fica marcado", comentou o apresentador cujo contrato termina no dia 31/12. Luque não sabe como vai ser o seu futuro na televisão. "Não tenho nada, não tenho uma proposta de outra emissora. Vamos esperar", declarou. 

Ex-integrantes lamentam fim do programa 



No Twitter, Monica Iozzi, que deixou o "CQC" em 2013, lamentou a suspensão do programa. "Lamento muito. O trabalho mais difícil que já realizei e do qual mais tenho orgulho. Uma pena...", disse ela. 



Integrante em 2014, Naty Graciano também se pronunciou sobre o fim do "CQC". No Facebook, ela desejou sorte à equipe demitida pela Band. "Fiz parte da história do programa que eu tanto admirava... Nunca esperei entrar e aconteceu! Por mérito meu! Graças a Deus! Agora, o CQC chega ao fim este ano! Tive momentos incríveis, entrevistei muita gente f... 'Bati' bastante a cabeça para dar o meu melhor... Enfim, valeu a pena! Estar na TV nacional no ano passado foi um sonho! Triste acabar assim... Sorte a todos profissionais que estão sem emprego! Eu também sigo buscando outro lugar para causar na TV!", escreveu. 




"CQC" entre 2008 e 2014, Oscar Filho agradeceu por ter feito parte do programa e mandou força aos profissionais. "Se tanta gente me para na rua é por causa deste programa. Graças a ele, muita coisa mudou na minha vida. Abraços aos amigos e colegas que ficaram e que não terão nenhuma dificuldade para voltar ao mercado de trabalho. Força aí, galera!!!", publicou no Facebook. 

Rafinha Bastos ironiza fim do "CQC" 



Rafinha Bastos encarou o anúncio da Band com ironia. Afastado do "CQC" em 2011 após dizer que "comeria" a cantora Wanessa Camargo e o bebê dela, o humorista publicou no Facebook uma carta dizendo que foi "figura decorativa" do programa, em referência à carta de Michel Temer a Dilma Rousseff, e que contava "as piadas que os outros não tinham coragem de fazer".

Acabam de noticiar que o CQC acabou. Não haverá a temporada 2016 do programa.Enviei esta carta ao CQC. Exatamente como...
Posted by Rafinha Bastos on Quarta, 9 de dezembro de 2015


Ronald Rios, repórter do "CQC" durante três anos, também fez piada com o fim do programa e o anúncio de que voltará em 2017. "É tipo quando a mina pede tempo para o cara e o cara fica cheio de esperança: 'Quando voltar, o sentimento vai ser maior'", cutucou no Twitter.

Band anuncia que "CQC" terá ano sabático em 2016 e volta em 2017


A direção da Bandeirantes, em reunião na tarde desta terça-feira (8), decidiu que o "CQC" ficará fora do ar durante todo ano de 2016. A informação é que o programa terá um "ano sabático". Em seu lugar, a ideia é aproveitar outros produtos, que possam no decorrer do tempo também fazer parte da grade.

Os profissionais que trabalham na produção do "CQC" foram comunicados nesta quarta-feira sobre a decisão. De acordo com um deles "o clima é de velório". Estão todos "arrasados" por lá, declara. Alguns repórteres do "CQC" que receberam a comunicação oficial da Band foram pegos de surpresa, como Juliano Dip que ainda estava em Brasília gravando para o programa.

Em comunicado, a Bandeirantes afirma que dará um "descanso para os homens de preto". "O intervalo entre as temporadas será estendido para que tenhamos tempo de voltar com mais força em 2017", afirma Diego Guebel, criador do formato e diretor-geral de conteúdo da Band.
De acordo com a assessoria da emissora, o apresentador Dan Stulbach é o único que segue contratado pela casa - no próximo ano, ele apresentará "História não Escrita". Já os demais integrantes da atração serão dispensados após o fim de seus contratos, ainda neste ano.
Diego Barredo, diretor geral da Eyeworks, já há alguns anos atuando como provedora de produtos para a Bandeirantes, entende que por tudo que representou, o "CQC merece esse descanso". No entender dele, o programa cumpriu plenamente o seu objetivo e soube colaborar com uma nova maneira de fazer televisão no Brasil. "Só tenho a agradecer à Band por manter o 'CQC' na grade durante todos esses anos. O caminho nunca foi esgotar a fórmula. Será um descanso saudável."
O programa estreou em 2008 e completa ao final de 2015 339 edições. Neste ano, Dan Stulbach assumiu o posto de apresentador que foi durante sete anos de Marcelo Tas.
 
Pelo programa, passaram nomes como Rafinha Bastos, Oscar Filho, Marco Luque, Rafael Cortez, Danilo Gentili, Felipe Andreoli, Monica Iozzi e Mauricio Meirelles. 

Elenco do "CQC" é dispensado e programa sai do ar em 2016

Dan Stulbach é o único da bancada que continua na emissora para novos projetos

Depois de oito anos na grade da Band, o "CQC" sairá do ar em 2016. Em nota divulgada a imprensa nesta quarta-feira (9), a emissora informa que decidiu dar "um descanso aos homens de preto" e que o humorístico ganhará um "ano sabático" para "voltar com mais força" em 2017.
"O intervalo entre as temporadas será estendido para que tenhamos tempo de voltar com mais força em 2017", afirma Diego Guebel, diretor-geral de conteúdo da Band. Outra mudança anunciada é a demissão da maior parte do elenco do humorístico, composto por Dan Stulbach,Rafael CortezMarco LuqueMaurício MeirellesLucas SallesJuliano Dip eErick Krominski. Ao iG, a assessoria de imprensa da emissora confirmou que apenas Stulbach segue contratado para futuros projetos da Band.
Com 339 episódios ao longo de oito anos, o "CQC" revelou talentos como Rafinha Bastos,Monica IozziDanilo GentiliOscar Filho e Felipe Adreoli e contou com participações de nomes como Dani Calabresa e Marcelo Tas.
Fora da bancada do programa, Dan Stulbach está cotado para uma nova atração em 2016, "História não Escrita", que vai contar as principais passagens históricas a partir do descobrimento do Brasil.
O último "CQC" vai ao ar no dia 28 com a retrospectiva dos melhores momentos do ano. 
*
*
PS: A Band ainda não sabe qual atração substituirá imediatamente o CQC - a grade de 2016 ainda não foi definida, segundo a emissora.
PS: A B

Ex-companheiros de "CQC", Rafinha Bastos e Marco Luque discutem no Twitter

Humorista comparou Luque a Michel Temer e recebeu resposta: "Se enforcou com a própria língua"

Os humoristas Rafinha Bastos e Marco Luque se envolveram em uma polêmica no Twitter nessa terça-feira (8). Pegando carona na carta divulgada por Michel Temer, Rafinha comparou o ex-colega de "CQC" ao vice-presidente da República.
"Foi parceiro no sucesso. Quando o bicho pegou, mandou uma carta de repúdio contra a aliada. Michel Temer, o Marco Luque da política", escreveu o ex-apresentador do "Agora É Tarde" em seu perfil na rede social. Na época em que Rafinha Bastos foi demitido do "CQC" por uma piada sobre o bebê de Wanessa Camargo, em 2011, Luque escreveu uma carta de repúdio aos comentários do colega.
A resposta do apresentador do "CQC" não demorou para chegar. "Hahahaha a 'aliada', assim como você, se enforcou com a própria língua", disse Luque.
Rafinha continuou ironizando. "Pesquisas apontam que o número de suicídio por enforcamento é 32 vezes menor que o enforcamento por ataque de jiboia", provocou o comediante, desta vez sem resposta de Marco Luque.

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Piloto Marc Márquez tem casa invadida por CQC italiano e reclama de insultos e agressões

Dois repórteres do CQC da Itália alegaram que tentaram entregar um prêmio a Marc Márquez na casa do espanhol e foram agredidos

À medida que se aproxima a etapa de Valência, que vai decidir a temporada 2015 da MotoGP, a disputa que deveria ser entre pilotos se torna cada vez mais entre países, com italianos e espanhóis comprando as dores dos seus ídolos. Na sexta-feira, dois repórteres do CQC da Itália alegaram que tentaram entregar um prêmio a Marc Márquez na casa do espanhol e foram agredidos pelo piloto, familiares e amigos.

Neste sábado veio a versão do piloto. "No dia de ontem (sexta), aconteceram tristes acontecimentos em Cervera (onde fica a casa dos pais de Márquez). Um grupo de pessoas invadiu a casa do piloto e proferiu uma série de insultos, realizando ações humilhantes e ridículos para o piloto. Eles chegaram a empurrar e agredir familiares mais próximos", explicou o staff de Márquez em comunicado.

"Dada a gravidade da ação, os atos foram denunciados (à polícia) e seguirão o curso normal de uma ação penal contra essas pessoas", continuou Emilio Alzamora, representante do piloto espanhol.

Na sexta, o Le Iene, verão italiana do CQC (humorístico exibido no Brasil pela Band), publicou em seu perfil no Facebook que os repórteres Stefano Corti e Alessandro Onnis teriam sido agredidos na casa de Márquez.

"Corti e Onnis hoje a tarde (sexta) foram à Espanha para tentar entregar a Márquez o 'copo de m...', um prêmio especial para celebrar as obras do espanhol. Mas as coisas não andaram como esperávamos", postou o programa, afirmando que os dois haviam sido levados a um hospital.

"Chegamos perto da casa dos pais do piloto, onde encontramos sue pai, seu irmão e um amigo dele. Quando tentamos entregar nosso troféu, fomos agredidos, tivemos nossa câmera quebrada e tirada de nós nossa placa de vídeo. Provavelmente eles queriam um troféu mais grosso", relataram os humoristas. O 'troféu' tinha o formato de um pênis gigante.

De acordo com o jornal espanhol 'Marca', os humoristas do CQC chegaram a entrar na garagem da casa e quebraram duas garrafas de champagne contra um muro para 'simular' um pódio. Depois, teriam puxado o piloto pelo braço, quando este pediu que deixassem a residência.

Repórteres do CQC da Itália alegaram que tentaram entregar um prêmio a Marc Márquez na casa do espanhol e foram agredidos
*
*
*
*
*
*
Obs de Lina Silva: Agredir entrevistados não é do feitio do CQC, nem na Itália e nem em qualquer país que o programa seja exibido. Se baseando ao que assisto aqui no Brasil, é mais verídica a versão de Le Iene do que desse piloto arrogante aí.

Criador do CQC agora quer mandar no Boca Juniors

Mario Pergolini (centro) é o criador do CQC e da famosa produtora Cuatro Cabezas
Vivendo grande fase, com o título do Campeonato Argentino já assegurado e a possibilidade de conquistar a Copa Argentina nesta quarta-feira, o Boca Juniors pode ter como "chefão" em breve uma das maiores celebridades da Argentina.
Trata-se de Mario Daniel Pergolini, empresário de 51 anos conhecido por ser o criador do programa CQC, exibido no Brasil pela TV Bandeirantes. Ele foi o primeiro apresentador da atração, que foi ao ar em 1995, e lançou o estilo terno e óculos escuros, usado depois por Marcelo Tas, Dan Stulbach e cia. na programação da Band.
Dono de um império de mídia, Pergolini também é criador e dono daCuatro Cabezas, uma das maiores produtoras de televisão do mundo, com escritórios em sete países, e da rádio Vorterix, além de ser locutor e apresentador do programa ¿Cuál es?na rádio Rock & Pop, naquela que é a atração mais ouvida da Argentina na frequência FM.
Torcedor fanático do Boca, Pergolini está como candidato a vice na chapa encabeçada por Jorge Amor Ameal, empresário e advogado que já foi presidente do clube xeneize entre 2008 e 2011, e agora quer retornar ao poder.
"Seria bárbaro que Mario Pergolini trabalhasse diretamente para o clube. Tenho uma excelente relação com ele, pois sempre colaborou de todas as formas", elogiou Ameal.
O advogado é, ao lado de Daniel Angelici, o favorito para assumir a presidência boquense nas eleições do time, marcadas para 6 de dezembro. José Beraldi, que é um dos diretores mais antigos do Boca, e Victor Santa María são os outros candidatos.
Pergolini também é conhecido por ter uma rivalidade ferrenha com outro famoso apresentador de TV: Marcelo Tinelli, o "Cuervo", que é torcedor fanático do San Lorenzo e será candidato à presidência da AFA (Associação de Futebol Argentino).
Mario Pergolini CQC Torce Boca Juniors Banfield Argentino 04/12/2011
Pergolini festeja vitória do Boca em La Bombonera
Tinelli, eterno apresentador doShowmatch (espécie deDomingão do Faustão) e Pergolini, com outro programa que criou, o La TV ataca, sempre disputaram ponto a ponto da audiência argentina. A rivalidade nunca foi sadia, com muitas trocas de farpas e acusações de que o outro sempre faz de tudo pelo ibope.
No ano passado, inclusive, o criador do CQC alfinetou o "Cuervo" depois que Tinelli foi eleito como Personalidade Destacada da Cultura na Argentina.
"Ele é uma referência da televisão, e televisão é parte da cultura, claro. Mas se entendemos que o que Tinelli faz é cultura, e não ler um livro de Jorge Luis Borges, estamos em perigo", cutucou, bem ao estilo do programa que criou.

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

NOTA: Ex-"CQC" Ronald Rios fecha contrato com a TV Gazeta

O jornalista Ronald Rios, ex-"CQC", é o mais novo integrante do time de apresentadores da TV Gazeta. Seu primeiro projeto na emissora será uma série especial sobre o rap nacional e tem estreia prevista para janeiro. Em seis episódios, o especial pretende abordar a história do gênero musical com depoimentos da velha e nova geração.
Com uma faixa reservada aos jovens, Ronald é aposta da emissora para o horário dedicado a este público, o das 23h30.
 
Em seu período no "CQC", o repórter teve como destaque uma passagem pela Faixa de Gaza e acompanhou de perto os efeitos da guerra, no local disputado por israelenses e palestinos.

“O jornalismo alimenta o preconceito diariamente”, diz repórter do ‘CQC’

Durante evento promovido pelo Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU) na noite de segunda-feira, 26, o repórter do ‘CQC’, Juliano Dip, abordou a necessidade de utilizar a comunicação para lutar contra discriminação de qualquer natureza. “O jornalismo alimenta o preconceito diariamente”, afirmou o jornalista ao discorrer sobre destaques em matérias que salientam características dos personagens de forma pejorativa.
Como exemplo, o profissional falou sobre o caso da recente festa realizada dentro de uma delegacia. A maioria das manchetes a respeito do assunto destacava o fato de que um dos participantes era anão, deixando de lado o absurdo que é haver esse tipo de comemoração em um distrito policial.
No ‘CQC’, Dip participa de dois quadros: ‘Proteste Já’ e o ‘Haters’. Segundo ele, o primeiro ganhou abordagem mais jornalística em 2015, ano de sua chegada à atração exibida semanalmente pela Band, e o outro trabalha pautas que combatem diretamente o preconceito.
CarreiraJornalista formado pela Universidade do Sagrado Coração de Bauru, no interior de São Paulo, Dip tem passagens por diversos veículos e diferentes mídias. Ele começou em uma rádio local, como estagiário. Em seguida, foi ao Vaticano, trabalhar na rádio oficial da Igreja Católica. De volta ao Brasil, o profissional ingressou no programa ‘Aqui e Agora’, do SBT.
Após passagem pela emissora de Silvio Santos, Dip começou a trabalhar na CBN, fazendo o jornalismo da madrugada, cobrindo crimes e acontecimentos da cidade. “Fazer jornalismo policial é contagiante. Essa área me ajudou a fazer nome na rádio”.
Dip contou que as coberturas policiais lhe renderam muitos aprendizados. “Enquanto jornalista, tenho que dar a notícia como ela é. Compreendi a importância de colher todas as informações oficiais e buscar todas as fontes. Jornalismo é agilidade”.
Além das coberturas no rádio e na televisão, Dip lecionou nos cursos de comunicação da FMU e da pós-graduação do Senac. O trabalho nas salas de aula foi interrompido quando o jornalista foi convidado para compor a equipe do ‘Custe o Que Custar’.

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

CQC quer entregar "VLT" a ex-governador

O VLT de Cuiabá será retratado com humor em rede nacional. Uma equipe do programa CQC, da Rede Bandeirantes, esteve na capital nesta semana para gravar o quadro “Proteste Já”. 

Uma das paradas foi no Centro de Custódia de Cuiabá, onde o repórter Juliano Dip tentou entregar um “trenzinho” simbolizando o VLT ao ex-governador Silval Barbosa (PMDB). “A gente tentou contato com o consórcio VLT, mas eles não querem dar entrevista. A alternativa é falar com o ex-governador Silval Barbosa, que assinou o contrato com o consórcio. Só que entrevistar ele será um pouco difícil, porque ele se encontra preso no Centro de Custódia de Cuiabá acusado de fraudes fiscais”, disse o repórter do humorístico.

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Dan Stulbach está escalado para programa sobre história do Brasil, diz colunista

Dan Stulbach tem um currículo e tanto. O ator e apresentador do CQC já trabalhou em diversas produções e comentou recentemente que acha uma loucura as pessoas ainda lembraram da cena da raquete - como esquecer? Agora ele está escalado para uma nova produção, segundo a coluna de Patricia Kogut.
A emissora Band terá uma série de seis episódios sobre a história do Brasil. Tudo indica que será Dan quem comandará e, além disso, vai participar também como ator, interpretando mais de um personagem.
*
*
*
*
PS: Esse programa eu me lembro de ter lido algo, no ano passado, onde MARCELO TAS dizia q ele quem gravaria esses episódios. E parece q ele já estava gravando...
Mas enfim, devem ter começado tudo de novo, uma vez q TAS saiu da Band.

Marco Luque diz que sente falta de Rafinha Bastos no CQC

Na manhã desta terça-feira (6), Marco Luque foi o convidado do Pânico, da Jovem Pan, e entre outros assuntos comentou sobre o CQC. O apresentador reconheceu que o programa não é mais aquele sucesso de oito anos atrás e acredita que, apesar de Dan Stulbach estar fazendo um grande trabalho, o Marcelo Tas era a cara do programa. "Quando você vê a galera saindo, realmente vai enfraquecendo", disse Luque.
Marco Luque ainda admitiu que outro integrante do antigo CQC faz muita falta: Rafinha Bastos. "Eu comemorei quando ele saiu, mas, ele faz falta, eu sei da qualidade da acidez dele como comediante. Ele sabe bater!".
Mas apesar disso, Luque disse estar tranquilo no programa e que não almeja estar na Globo como alguns de seus antigos colegas de programa. "Acho que toda mudança é válida. Eles estavam inquietos e foram atrás do que queriam. Eu estou tranquilo".
Sobre a permanência no programa, o único que permaneceu desde o começo, já que Rafael Cortez foi para a Record e depois voltou, Luque brincou que não sabe porque continua no CQC. "Acho que não queriam mudar a bancada totalmente, por isso".
Várias vezes criticado por não deixar muito a bancada do programa e fazer matérias externas, Luque comentou no Pânico sobre o que acha da vida dos repórteres. "É curta... É muita exploração, o cara não tem muita vida social. O cara sai de uma matéria vai pra outra. Eles tem que estar sempre prontos. É um stress".
Questionado sobre censura no CQC, o apresentador admitiu que esse ano o programa tem pegado mais leve com alguns temas. "Tem alguns assuntos mais delicados e pela atual situação do Brasil estamos tendo que dar uma maneirada".
Saindo um pouco do assunto CQC, Marco Luque disse que o término do auge da fama não o incomoda, mas sim, a falta de público no teatro. "Hoje é muito tranquilo, posso fazer o que eu quiser. Diferente dos jogadores de futebol, youtubers. Comigo é uma abordagem saudável, a galera elogia meu trabalho, tira uma selfie. Eu sinto mesmo saudade de lotar teatros com meus espetáculos, encher o c* de dinheiro, lotar várias sessões. Hoje faço geralmente 1, ou 2, cheias por fim de semana. Isso deu uma abaixadinha".
Além do CQC, Marco Luque está com seu canal do Youtube, que está melhor do que nunca. "Estava como uma mudinha murcha e aí eu joguei uns adubos, estou postando mais e agora está muito legal, estamos tendo um retorno muito fera!"
Você acha que a vida de Marco Luque para por aí? Nada disso! Ele também está nos palcos do Comedians Club com o espetáculo 1,2,3 Testando. "Resolvi criar vergonha na cara e sair da zona de conforto. Criei esse projeto para experimentar textos novos, coisas novas, para um show do ano que vem", finalizou.

terça-feira, 22 de setembro de 2015

Corinthians pede e CQC vai atrás de rapaz que xingou jogadores de “Macacos”

Na última semana, um um torcedor chamou, por meio de sua rede social, os jogadores Vagner Love, Elias, Malcom e Gil de macacos. O Corinthians entrou em contato com a direção do CQC, da Bandeirantes, segundo o apresentador Dan Stulbach, e o rapaz foi identificado pelo quadro “Haters” do programa.

Antes de procurar o torcedor, o repórter Juliano Dip entrevistou Malcom, um dos jogadores insultados, e o atacante afirmou que nunca havia passado por isso, mas que o acusado deveria ser punido.
“Não, pelo incrível que pareça foi a primeira vez que eu vi alguém falando “Macaco”.Mas isso não interfere em nada. Pretos ou negros, brancos todos somos iguais, somos seres humanos. Isso pra mim é crime, como é no Brasil e tem que ter uma punição nesse cara”, explicou o jovem jogador.
O suspeito, que teve o nome e o rosto preservado, cancelou todas as suas contas nas redes sociais e negou a todo momento que foi ele quem xingou os jogadores do Corinthians, e afirmou que sua página na web foi hackeada.
“Eu não (chamei). Inclusive hackearam meu Twitter”, explicou o “hater”. “Sacanagem, é que eu costumo deixar aberta a conta”, completou gaguejando, o torcedor que mora no interior de Minas Gerais.

domingo, 6 de setembro de 2015

Rafael Cortez, do 'CQC', fala sobre frustração: 'Tenho azar com as mulheres'

Apresentador assume que quer se casar, mas ainda não encontrou uma 'grande parceira': 'Nunca morei junto com uma mulher que não fosse amiga ou irmã'

Rafael Cortez ficou conhecido do grande público como repórter do "CQC", da Band, mas depois de um tempo deixou a atração para comandar dois programas próprios na Record. Mas após dois anos voltou ao programa de origem, desta vez como apresentador, na bancada da atração, ao lado de Dan Stulbach, que substituiu Marcelo Tas. Mas o sucesso na rotina profissional, segundo ele, não se reflete na vida pessoal. "Estou bizarramente solteiro", disse em entrevista à revista "Quem", revelando que seu namoro com a dentista Naiara Ferreira chegou ao fim em pleno Dia dos Namorados. 

Rafael garantiu que, aos 38 anos, a vontade de casar e ter filhos já bateu forte: "Financeiramente, já conquistei as coisas de que precisava para ser pai, ter uma mulher. Seria o momento de desfrutar em família". Mas assumiu que não tem dado sorte nesse quesito: "Eu tenho azar com as mulheres no sentido pleno, qualitativamente. A questão é que não encontro uma grande parceira. Nunca morei junto com uma mulher que não fosse amiga ou irmã. Tenho essa frustração". E coloca a culpa em sua vocação: "Eu tenho o péssimo hábito de dar mais importância para minha vida profissional. Cheguei aos 38 anos sem filhos, sem ter tido uma relação estável".

Por se dedicar muito ao trabalho, não conseguiu lidar muito bem no início com sua experiência na Record: "Por muito tempo fiquei chateado porque achei que tinha sido mal aproveitado lá. Mas vi que foi necessário ter vivido esse momento. Não me arrependo de nada". E explicou o motivo de ter deixado a emissora: "Vi que não estava nos planos deles, mas eles me encaixariam em alguma coisa. Tinham me oferecido a posição de repórter do programa da Sabrina Sato, que eu adoro, mas eu havia ido para lá para ser apresentador. Eu poderia ficar ali, ganhando um salário, pegando algo que viesse, mas não sou acomodado".
Apresentador opina sobre Rafinha Bastos e fala de acidente com touro: 'Resolveu se vingar'

Ex-companheiro de Rafael Cortez no "CQC", Rafinha Bastos deixou o programa após uma piada envolvendo a cantora Wanessa, que o fez ter que pagar R$ 150 mil de indenização após um processo e colocar um limite em suas brincadeiras. Segundo o artista, o que aconteceu com o colega foi um exagero. "Na época, houve uma histeria coletiva. Foram críticas em cima de uma bobagem. Tive pena, ele ficou muito sozinho", contou. 

E assumiu que frequentemente também se arrepende de alguma coisa que fala em seus programas e shows no teatro. "Mas não me acovardo. Vou e faço, o pior que pode acontecer é dar errado", brincou. E também fez piada com o acidente que sofreu com um touro, na festa de Barretos. "A gente ia fazer uma brincadeira, colocar um boneco meu na arena com o boi e resolvi entrar. Ele veio para cima de mim, acho que lembrou das minhas piadas e resolveu vingar a sociedade! Estou bem, só tive algumas escoriações", resumiu.

Rafael Cortez: 'Teve fase que tinha uns b***** no CQC'

Repórter ainda contou que foi contratado para ser produtor do programa

"Ao que devo a honra do OFuxico  querer falar comigo? Isso está com uma cara de trote", disse Rafael Cortez bastante desconfiado. Foi com essa frase com que o repórter do CQC começou a entrevista com o site.
E, como não poderia ser diferente, o primeiro assunto abordado foi um que causou bastante polêmica nas redes sociais recentemente: uma foto que ele postou cheio de curativos após ser "atropelado" por um touro.
"Foi uma brincadeira boba. Eu fui brincar de querer ser aqueles palhaços de arena e deu nisso. O touro passou por mim e deve ter falado: 'Nossa, é aquele idiota do Rafael Cortez. Vamos pra cima dele!'. Aí deu nisso. Mas, na realidade, eu não me machuquei tanto, aquilo foi mais uma maquiagem para fazer uma brincadeira e aí repercutiu bastante. Mas isso foi bom, porque eu percebi como sou querido, já que recebi várias mensagens", afirmou.
Rafael Cortez, que foi um dos únicos do CQC a viver a fase antiga e a atual, revelou que agora eles tem uma equipe equilibrada, mas nem sempre foi assim.
"Hoje nós temos um time de qualidade equilibrada, algo que acho que nunca teve. Lá no início, em 2008, tinham sete caras muito bons. Depois passou a ter caras bons e caras regulares, teve momentos que tinham quatro repórteres muito bons e dois b*****. Hoje, graças a Deus, está tudo certo", disse.
O repórter ainda contou que, quando foi contratado pelo CQC, ele iria trabalhar como produtor do programa, mas contou como mudou o rumo das coisas.
“Eles me chamaram pra ser produtor, mas estava desinteressado com a vaga. Já tinha trabalhado como produtor, mas não era isso que eu queria mais. Queria ser jornalista, aparecer na TV, aí veio o convite do CQC e, apesar de ser como produtor, veio um insight e eu mantive a reunião para conhecer os chefes do programa, porque eu queria fazer parte daquilo mas como jornalista. Na reunião, eu cheguei e falei que gostaria de ser repórter. Ficou um clima esquisito, eles não estavam querendo muito, perguntaram se eu era humorista, se eu fazia stand-up, mas eu não fazia nada disso. Aí, quando eu agradeci, um deles falou: ‘Mas pela sua cara de pau, eu vou deixar você fazer um teste’. Eu fiz um bom teste, depois fiz um segundo, e falaram que eu estava contratado. Mas para eu ficar sabendo foi um calvário de um mês e meio”, afirmou.
E, neste tempo em que está no CQC, Rafael Cortez tem milhares de história para contar, mas uma ele não esquece. Ele lembrou de quando foi xavecado por uma “famosa boazuda” em uma reportagem para o programa e que acabou não rolando nada por um “vacilo”, como ele mesmo define.
“Essa história aconteceu mesmo, mas foi um vacilo enorme. Tinha feito um CQTeste com essa pessoa que prefiro não falar quem é (risos), mas tinha passado a noite anterior em estado deplorável. Depois da reportagem, ela foi falando molinho, sabe? Aí falou que queria cuidar de mim na casa dela e eu, idiota, falei: ‘Não, não, eu vou para casa descansar mesmo. Aí tomo uns remedinhos por lá’”, afirmou.
Questionado sobre a identidade dela, Rafael Cortez não revelou o nome, mas deu uma dica: “Cara, é uma mulher que todo mundo quer comer. Ela era estilo panicat. Em outra pauta, encontrei com ela de novo e falei sobre aquele dia e ela falou: ‘Queria você mesmo, mas hoje sou casada e tenho filhos’”.
Rafael Cortez ainda revelou que foi castigado após desprezar a “mulher misteriosa”. “Quando eu cheguei na van, todo mundo disse eu ela queria ficar comigo e que eu desprezei. Todo mundo da equipe me bateu, fizeram uma roda e me bateram, mas eu merecei mesmo”, brincou.
Uma curiosidade da vida de Rafael Cortez é sua “aversão a baratas” e o repórter contou o que faria se o inseto aparecesse durante um encontro com uma mulher em sua casa. “Primeiro, eu espero que ela seja menos cagona que eu, mas qualquer coisa eu ligo para o porteiro aqui e ele resolve”.
Com seu jeitão divertido, Rafael Cortez conquistou bastante o público, predominantemente feminino, e falou sobre o carinho das fãs com ele.
“Isso é bem surreal. Existe o amor e ódio nas redes sociais e recebo elogios e críticas de todos os lados, mas é muito bom. Esse público não é aquele público jovem, sabe? Que vai crescer e te esquecer. São garotas de universidade, entende? Que já sabem o que querem. É muito legal saber que você é querido”, disse.
Porém, para quem acha que Rafael Cortez é apenas repórter do CQC, ele também mostrou que é músico, onde já lançou o CD instrumental Elegia da Alma e prepara um novo trabalho musical. “Vou lançar um segundo CD com a banda Pedra Letícia, que vai se chamar MDB, Música Divertida Brasileira, que serão releituras engraçadas de canções clássicas da Música Popular Brasileira”, contou.
No CD, o público vai redescobrir obras de Tom Jobim ("Pra Mó de Chatear"), João do Vale ("Peba na Pimenta"), Moreira da Silva ("Fui ao Dentista"), Adoniram Barbosa ("Samba do Arnesto"), Luiz Gonzaga ("Lorota Boa"), Chico Buarque ("Piruetas") entre muitos outros.