quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Reformulado, CQC volta com novos integrantes e aprovação de Marcelo Tas


Na temporada de 2015, Dan Stulbach assume o posto de apresentador. Um novo elenco foi montado e recebeu a aprovação do jornalista Marcelo Tas.


Da esquerda: Lucas Salles, Erick Krominski, Cortez, Dan Stulbach, Marco Luque, Maurício Meirelles e Juliano Dip

A nova temporada do CQC está completamente reformulada. Nos últimos meses, o programa sofreu diversas perdas no elenco. Dani Calabresa, Ronald Rios, Oscar Filho, Felipe Andreoli, Guga Noblat, Naty Graciano e o próprio apresentador Marcelo Tas se desligaram da atração.
No atual elenco, Marco Luque e Rafael Cortez vão comandar a bancada da atração junto com Dan Stulbach, que assume o posto de apresentador. Os repórteres Lucas Salles e Maurício Meirelles permanecem no programa, que ganha o reforço de dois nomes: Erick Krominski, que fazia vídeos nas redes sociais, e o jornalista Juliano Dip.
O R7 esteve na coletiva de imprensa realizada em São Paulo para descobrir as novidades do programa. Uma das surpresas é a ausência de mulheres nesta edição. O diretor-geral de conteúdo da Band explicou a falta da presença feminina no elenco.
— O programa não tem que cumprir cotas. Não é tão importante isso de "tem que ter uma mulher" ou "não tem que ter uma mulher". Tem que ter uma pessoa que seja inteligente e engraçada, se é mulher ou se é homem não é relevante. Assim como não tem significado serem sete integrantes. O número sete não é cabalístico. O programa se alimenta de talentos com seis, sete, oito, nove e isso não significa que amanhã não possa ter mais um integrante.
Dan Stulbach falou sobre o desafio de assumir a apresentação, que era de Marcelo Tas desde 2008.
— Ninguém sacaneou ninguém. Ele tinha vontade de sair, me chamaram e eu tive vontade de vir. O que ele fazia era único, eu tenho que achar o meu jeito. Marcelo foi muito gentil comigo, a gente se "mensageou" [trocaram mensagens] carinhosamente, talvez a gente tenha um encontro pessoal. A gente tem carinho e respeito um pelo outro, mas não pedi dica, não pedi conselho.
E o mais novo apresentador  falou sobre as comparações entre ele e Tas.
— Se eu tenho medo das comparações? Não, porque eu não me preocupo. Não estou substituindo uma pessoa, estou substituindo uma função e acho que é natural que ele fizesse da maneira dele e eu faça da minha. Acho natural que ele seja uma referência, porque ele foi a única pessoa que ocupou esse lugar... e muito bem. Acho que as comparações serão inevitáveis, mas peço um pouco de paciência das pessoas para que a gente tenha tempo.
Sobre uma possível queda na audiência por conta das mudanças, Dan foi direto.
— Eu não tenho preocupação de audiência, eu tenho preocupação de qualidade. De dizer coisas, de provocar situações, que a gente seja um programa relevante e divertido.

Nenhum comentário: