domingo, 6 de setembro de 2015

Rafael Cortez: 'Teve fase que tinha uns b***** no CQC'

Repórter ainda contou que foi contratado para ser produtor do programa

"Ao que devo a honra do OFuxico  querer falar comigo? Isso está com uma cara de trote", disse Rafael Cortez bastante desconfiado. Foi com essa frase com que o repórter do CQC começou a entrevista com o site.
E, como não poderia ser diferente, o primeiro assunto abordado foi um que causou bastante polêmica nas redes sociais recentemente: uma foto que ele postou cheio de curativos após ser "atropelado" por um touro.
"Foi uma brincadeira boba. Eu fui brincar de querer ser aqueles palhaços de arena e deu nisso. O touro passou por mim e deve ter falado: 'Nossa, é aquele idiota do Rafael Cortez. Vamos pra cima dele!'. Aí deu nisso. Mas, na realidade, eu não me machuquei tanto, aquilo foi mais uma maquiagem para fazer uma brincadeira e aí repercutiu bastante. Mas isso foi bom, porque eu percebi como sou querido, já que recebi várias mensagens", afirmou.
Rafael Cortez, que foi um dos únicos do CQC a viver a fase antiga e a atual, revelou que agora eles tem uma equipe equilibrada, mas nem sempre foi assim.
"Hoje nós temos um time de qualidade equilibrada, algo que acho que nunca teve. Lá no início, em 2008, tinham sete caras muito bons. Depois passou a ter caras bons e caras regulares, teve momentos que tinham quatro repórteres muito bons e dois b*****. Hoje, graças a Deus, está tudo certo", disse.
O repórter ainda contou que, quando foi contratado pelo CQC, ele iria trabalhar como produtor do programa, mas contou como mudou o rumo das coisas.
“Eles me chamaram pra ser produtor, mas estava desinteressado com a vaga. Já tinha trabalhado como produtor, mas não era isso que eu queria mais. Queria ser jornalista, aparecer na TV, aí veio o convite do CQC e, apesar de ser como produtor, veio um insight e eu mantive a reunião para conhecer os chefes do programa, porque eu queria fazer parte daquilo mas como jornalista. Na reunião, eu cheguei e falei que gostaria de ser repórter. Ficou um clima esquisito, eles não estavam querendo muito, perguntaram se eu era humorista, se eu fazia stand-up, mas eu não fazia nada disso. Aí, quando eu agradeci, um deles falou: ‘Mas pela sua cara de pau, eu vou deixar você fazer um teste’. Eu fiz um bom teste, depois fiz um segundo, e falaram que eu estava contratado. Mas para eu ficar sabendo foi um calvário de um mês e meio”, afirmou.
E, neste tempo em que está no CQC, Rafael Cortez tem milhares de história para contar, mas uma ele não esquece. Ele lembrou de quando foi xavecado por uma “famosa boazuda” em uma reportagem para o programa e que acabou não rolando nada por um “vacilo”, como ele mesmo define.
“Essa história aconteceu mesmo, mas foi um vacilo enorme. Tinha feito um CQTeste com essa pessoa que prefiro não falar quem é (risos), mas tinha passado a noite anterior em estado deplorável. Depois da reportagem, ela foi falando molinho, sabe? Aí falou que queria cuidar de mim na casa dela e eu, idiota, falei: ‘Não, não, eu vou para casa descansar mesmo. Aí tomo uns remedinhos por lá’”, afirmou.
Questionado sobre a identidade dela, Rafael Cortez não revelou o nome, mas deu uma dica: “Cara, é uma mulher que todo mundo quer comer. Ela era estilo panicat. Em outra pauta, encontrei com ela de novo e falei sobre aquele dia e ela falou: ‘Queria você mesmo, mas hoje sou casada e tenho filhos’”.
Rafael Cortez ainda revelou que foi castigado após desprezar a “mulher misteriosa”. “Quando eu cheguei na van, todo mundo disse eu ela queria ficar comigo e que eu desprezei. Todo mundo da equipe me bateu, fizeram uma roda e me bateram, mas eu merecei mesmo”, brincou.
Uma curiosidade da vida de Rafael Cortez é sua “aversão a baratas” e o repórter contou o que faria se o inseto aparecesse durante um encontro com uma mulher em sua casa. “Primeiro, eu espero que ela seja menos cagona que eu, mas qualquer coisa eu ligo para o porteiro aqui e ele resolve”.
Com seu jeitão divertido, Rafael Cortez conquistou bastante o público, predominantemente feminino, e falou sobre o carinho das fãs com ele.
“Isso é bem surreal. Existe o amor e ódio nas redes sociais e recebo elogios e críticas de todos os lados, mas é muito bom. Esse público não é aquele público jovem, sabe? Que vai crescer e te esquecer. São garotas de universidade, entende? Que já sabem o que querem. É muito legal saber que você é querido”, disse.
Porém, para quem acha que Rafael Cortez é apenas repórter do CQC, ele também mostrou que é músico, onde já lançou o CD instrumental Elegia da Alma e prepara um novo trabalho musical. “Vou lançar um segundo CD com a banda Pedra Letícia, que vai se chamar MDB, Música Divertida Brasileira, que serão releituras engraçadas de canções clássicas da Música Popular Brasileira”, contou.
No CD, o público vai redescobrir obras de Tom Jobim ("Pra Mó de Chatear"), João do Vale ("Peba na Pimenta"), Moreira da Silva ("Fui ao Dentista"), Adoniram Barbosa ("Samba do Arnesto"), Luiz Gonzaga ("Lorota Boa"), Chico Buarque ("Piruetas") entre muitos outros.


Nenhum comentário: