segunda-feira, 23 de março de 2015

Novo “CQC” preocupa a Band e pode ser reformulado

A baixíssima audiência têm causado preocupação na emissora, que pensa na possibilidade de reformular o programa mais uma vez para o tornar mais atrativo.

Ao menos em suas primeiras semanas no ar, o novo "CQC" parece não ter conseguido recuperar o público perdido pelo programa nos últimos anos.
Segundo o colunista Flávio Ricco, a baixa audiência registrada pelo programa humorístico têm causado preocupação na Band, que pretende reformular atração mais uma vez, tornando-a mais atrativa para os telespectadores. 
A susbtituição de Marcelo Tas por Dan Stulbach e a nova composição do time vêm sendo questionadas internamente e começam a ganhar o status de erro. Por enquanto, possíveis dispensas ainda não estão em pauta e a Band deve continuar investindo na equipe atual.
Curiosamente, o "CQC" que é um formato internacional, também vem perdendo audiência em outros países nos quais é exibido. 

quarta-feira, 11 de março de 2015

Dan Stulbach vai bem na estreia do “CQC”

Na noite de ontem Dan Stulbach assumiu a cadeira de Marcelo Tas à frente do “CQC”. E as "viúvas do Tas", claro, se prepararam para enxovalhar o novo apresentador. Stulbach, porém, não é nenhum amador e conseguiu dar conta do recado. Teve quem dissesse que ele parecia estar doidão. Mas quem naquela bancada – ou no programa – não parece estar doidão o tempo todo?
Stulbach foi apenas uma das novidades da nova temporada do CQC. O programa teve também a estreia de novos repórteres e quadros. O ruivo Erick Krominski se mostrou à vontade como repórter contestador no quadro “Serviço de Atenção ao Consumidor”. O grande momento, entretanto, foi o quadro “Proteste Já” com o repórter Juliano Dip, que mostrou como uma mineradora vem envenenando sistematicamente os moradores da cidade mineira de Paracatu. Só não foi melhor porque colocou humor (aquelas claques de risadas e vinhetas gráficas engraçadinhas) em um assunto que não tinha a mínima graça. Sim, a proposta do “CQC” é fazer jornalismo com humor, mas não é em todo lugar que cabe fazer piada.
Houve ainda o “Encontro CQC Para Famosos Solteiros”, no qual o repórter Maurício Meirelles promoveu um encontro para o apresentador João Kléber. Eles juraram que se tratava de uma situação real. De fato, parecia tão “real” quanto os testes de fidelidade promovidos por João Kléber em seu programa.
Ainda no campo da novidade, teve o quadro do personagem inconveniente que se mete no meio das entrevistas dos políticos no Congresso. Conseguiu arrancar algumas risadas, mas é difícil saber se terá fôlego. Mais promissor talvez seja o quadro “Simuladores”, que mostra as variedades de golpes aplicados nas grandes cidades.
Rafael Cortez ganhou um lugar na banca – e assim como Marco Luque fez o de sempre (a saber: piadas que às vezes funcionam, às vezes, não). Ele continua à frente do “CQTeste”, que, com regras mudadas, teve o Menino de Ouro Luiz Bacci como vítima...

Segundo lugar na audiência, programa foi marcado por ironia à Record e piadas com Wanessa

A estreia do novo CQC nesta segunda-feira (09), foi marcado por uma série de ironias a Record, Wanessa e brincadeiras sobre Dan Stulbach e a Rede Globo. Rafael Cortez, que voltou à atração após uma passagem apagada pela Record, alfinetou a antiga emissora assim que apareceu.

Assim que foi apresentado, antes de dizer qualquer coisa, ele olhou no relógio, contou alguns segundos e disse: "Pronto, já estou no ar aqui mais tempo do que fiquei na Record", em referência ao tempo que amargou na geladeira.
Cortez citou também a Globo quando disse a Stulbach que as portas da emissora agora estavam fechadas para ele. "Agora não vai ter mais lugar na Fátima", disse ele. Enquanto isso, o apresentador, que substituiu Fátima nas férias dela do "Encontro", gritava um "Nããããão".

Gugu Liberato foi destaque no primeiro "Top Five" do ano, quadro que mostra gafes da TV. O apresentador da Record apareceu em dois vídeos. Primeiro com a gata que avançou na dona quando a reencontrou no palco do programa. E depois com o mico que fez Wanessa pagar ao vivo quando o som no estúdio falhou durante playback da cantora.

Após as cenas de Wanessa no Gugu, Dan Stulbach perguntou se Cortez ou Marco Luque gostariam de fazer alguma consideração. "Eu? Nesse lugar? Acho melhor ficar quieto porque quero continuar no programa", disse Cortez. Ele brincou com o processo que Wanessa moveu contra Rafinha Bastos quando ele fez piada com ela no "CQC", justamente no lugar onde Cortez estava sentado.

Gravado para evitar problemas já na largada, o programa foi divertido, dinâmico, mas com um Stulbach exagerado, nada espontâneo, o que provocou críticas nas redes sociais. Muita gente considerou que ele tentava imitar trejeitos e voz de Marcelo Tas, o primeiro apresentador. Apesar das críticas a Stulbach, a linha editorial mais séria de algumas reportagens parece ter agradado o público.

Durante a estreia, o "CQC" ficou em segundo lugar na audiência e figurou entre os assuntos mais comentados no Twitter. Também no Twitter, Stulbach se manifestou ao final da atração: "Foi muito bom! Obrigado!"

Algumas opiniões dos tuiteiros:

Estreia de Dan Stulbach no "CQC" divide opiniões

Dan Stulbach teve uma estreia polêmica na bancada da nova temporada de “CQC”, na segunda-feira (9), às 22h45.
Os comentários nas redes sociais se dividiram. No Twitter, alguns elogiaram, timidamente, a atuação de Stulbach, e afirmaram que o apresentador precisava se familiarizar mais com o programa.
Outros criticavam-no, dizendo que o ator forçava as piadas e estava tentando imitar Marcelo Tas, ex-ocupante da bancada do “CQC”. No Twitter surgiu a hashtag “ForaDanStulbach, geralmente acompanhada de pedidos para a volta de Tas ou lamentando sua saída.
O que não deixou dúvidas, no entanto, foi o quadro do repórter Juliano Dip, “Proteste Já”, que recebeu inúmeros elogios nas redes sociais.
Em audiência, a estreia da nova temporada de “CQC” deixou a desejar. O programa registrou média de 3,8 pontos. Cada ponto equivale a 67 mil domicílios na Grande São Paulo.
A nova edição do “CQC” não conseguiu superar a estreia da temporada de 2014, que marcou 4,5 pontos. A estreia da edição de 2015 ficou em quarto lugar no em ibope na Grande SP.
O que o programa não alcançou em audiência na TV, veio no Twitter. A hashtag #CQC2015 está nos Trending Topics brasileiros desde segunda-feira (9) à noite.

terça-feira, 10 de março de 2015

WEBCOMIC #5 "BONECOS" - PÁGINAS 9 A 11








SEI QUE "TANTO FAZ PQ TÁ BOM MESMO ASSIM" A HISTÓRIA, MAS SÓ POR CURIOSIDADE EU TENHO QUE INFORMÁ-LOS QUE A HISTÓRIA ESTÁ SENDO ABREVIADA. NO ROTEIRO ORIGINAL TERIA MAIS DETALHES, MAS ESTES DETALHES TERIAM MAIS SENTIDO SE DE FATO HOUVESSE UMA ANIMAÇÃO.
E PRA QUEM NÃO PEGOU PQQ ESSE ROTEIRO NÃO VIROU ANIMAÇÃO, LEIAM "AQUI"

TÔ FAZENDO ASSIM TBM PQ O CQC 2015 JÁ COMEÇOU E QUERO TERMINAR LOGO ESSA DESPEDIDA DA MEGALIGA CQC 2014.

OUTRA CURIOSIDADE É O SEGUINTE: PRA QUEM NÃO PERCEBEU EU AINDA COLOCO NOS MARCADORES DESTA WEBCOMIC 5 "MEGALIGA CQC 2014" PQ QUASE TDS DESSA GALERA DA HISTÓRIA NÃO ESTÁ MAIS NO CQC DESTE ANO. E A MEGALIGA CQC 2015 VAI COMEÇAR OFICIALMENTE EM ABRIL. ;-)




domingo, 8 de março de 2015

De palhaço de circo a novo repórter do "CQC": conheça Erick Krominski

Ele já trabalhou como palhaço de festa de criança, fez peças de teatro, teve agência de publicidade, atuou em dezenas de comerciais, criou canais na internet e agora encara o maior desafio de sua carreira: ser um CQC. Com quase 30 anos, que completa em abril, Erick Krominski passou de cara, logo no primeiro teste que fez para tentar vaga como repórter da oitava temporada do programa da Band. E ainda foi elogiado pelo novo apresentador principal da atração, Dan Stulbach.
“Na verdade eu vi que estava tendo essa renovação da bancada e no mesmo dia mandei e-mail para o meu agente. Ele entrou em contato com a produção, marcaram meu teste para o dia seguinte e eu passei. É um desafio totalmente novo para mim. Nunca havia pensado em trabalhar no 'CQC' até saber que estavam procurando pessoas para a nova temporada.“
Mas o que aconteceu de tão interessante neste teste para conquistar de cara a produção do “CQC”? “Foi um teste falando sobre política, que é um assunto que eu gosto bastante. Eu tinha que falar com um deputado envolvido em um escândalo específico. E ele mentiu para mim, dizendo que não era o deputado. Mas eu tinha decorado a cara de todos os envolvidos, né? Aí falei: ‘Deputado, eu te conheço, eu sou seu fã’. Aí acompanhei ele, apanhei de segurança...”
Mas o melhor ficou para o fim. “No final conversei com a deputada Mara Gabrilli, acabou rolando um clima com ela e até rolou um selinho. Foi divertido demais. O dia do teste foi quando eu falei: ‘Porra, eu quero mesmo fazer esse negócio’. Antes eu não tinha muita certeza.”
Não tinha certeza, nem achava que poderia ser escolhido. “Eu realmente não esperava muito porque eu sei que muita gente conhecida, e eu não tenho um nome muito grande, aliás não tenho nome nenhum, tinha muita gente conhecida sendo cotada e fui e fiz (o teste) de maneira despretensiosa."
Internet
O principal background do novo repórter da atração, que estudou apenas até a sétima série e não fez nenhuma faculdade, além de ser dono de uma charmosa e bem cuidada barba ruiva e de um sorriso encantador, é a internet. Depois dos trabalhos como palhaço de circo etc, etc, ele descobriu o que viria a ser sua mina de ouro.
“Em 2011 criei um perfil no Twitter para falar mal das celebridades. Aí na época fui processado, aconteceram várias coisas e eu entendi como era a coisa de entretenimento na internet. Comecei a ganhar dinheiro com isso. Depois criei um perfil chamado Rádio Vanusa, em que eu só pegava os trechos das músicas e tuitava.”
O maior acerto foi a criação do site Muito Interessante que acabou se transformando em uma empresa. Erick recebeu investimentos, ganhou uma graninha e hoje em dia já deixou a empresa.
Medo da TV
“O CQC está sendo uma volta dessa coisa de mostrar a cara”, diz ele, que já teve a oportunidade de trabalhar como ator na TV, mas preferiu não arriscar. “Sempre tive muito medo de televisão. Já tive algumas oportunidades de fazer testes para novela, mas sempre tive muito medo da imprensa. Não me sentia muito seguro. Hoje, se você me falar que existe uma oportunidade de eu fazer uma novela, eu acho que não (faria). Estou bem entusiasmado com o 'CQC', estou feliz para ca.....”
Paralelamente ao trabalho no “CQC”, Erick vai continuar com projetos na internet. “Eles me deram liberdade para continuar com os meus canais na internet, algo que para mim sempre foi muito importante. Porque a internet é a minha casa na comunicação. É onde eu sei, é onde eu conheço as pessoas, é onde elas conversam comigo de uma forma mais estreita. Então essa minha liberdade na relação com a Bandeirantes está bem explícita. Vou continuar com os projetos que eu já tenho e com novos projetos também.”
E o trabalho como ator? Vai ser abandonado? Estar no programa da Band e poder tocar os projetos na internet são satisfatórios? “Fiz muitos anos de terapia e ainda não consegui saber o que eu quero fazer. Porque falar com as pessoas sendo eu mesmo, dar a nossa opinião é muito gostoso. Atuar é um outro universo. É um negócio completamente diferente. As minhas últimas experiências com atuação foram em publicidade e cinema, que são linguagens muito parecidas. Quero continuar fazendo isso. Cinema e publicidade bacana. Já fiz muita publicidade ruim no início da carreira, ruim mesmo. Elenco de apoio, para não falar figuração...”.
A nova temporada do “CQC” estreia amanhã dia 9, às 22h45.

Dan Stulbach estreia no CQC e afirma: "Vamos atacar todo mundo"

Atração volta ao ar na segunda-feira e não vai poupar nenhum partido, segundo o novo apresentador






Para alguns, não é jornalismo. Para outros, não é humor. De fato, o CQC incomoda, e muito, principalmente a classe política, que não é poupada nas pautas do programa. Há sete anos no Brasil, o “Custe o Que Custar” tem agora um novo comandante, o ator Dan Stulbach, que substitui Marcelo Tas, à frente da bancada desde a estreia, em 2008. Em entrevista ao Timeline desta sexta-feira (6), Dan Stulbach afirmou que a característica mais marcante do CQC será mantida:
“Vamos atacar todo mundo, por isso o programa vai ser equilibrado. Do que depender de mim, o CQC não terá opção política. Tentará ser o máximo equilibrado possível na cobertura política. Até porque corrupção não tem partido”.
Menos “sério” do que os demais, o CQC carrega no deboche e na ironia fina em suas entrevistas. Mas nem sempre é bem interpretado. Dan acredita que a cobertura fora dos padrões, feita pelos repórteres em Brasília, pode aproximar o cidadão do debate político: “O programa, quando veio, trouxe a sensação de um jornalismo sem ‘maquiagem’. Mostra o político como ele realmente é, com a intenção de mostrar a hipocrisia, de revelar o ridículo. Acredito que isso foi bom para o jornalismo em geral, que está mudando”.
Dan lamentou a forma negativa como alguns encaram as brincadeiras feitas em cima dos problemas enfrentados pelo país. Ele exaltou o alcance que o humor pode ter ao levar a informação à casa das pessoas.
"O humor é inteligente. Saber ri de si é uma grande qualidade. Porém, está um “bode geral” no Brasil. As pessoas estão menos humoradas e mais radicais. Se fragilizam, ficam brabas rapidamente. Então, acho natural que ninguém goste. Na medida em que ninguém gostar, que todo mundo se sentir atacado, está tudo bem".
Dentre os papeis na dramaturgia, Dan Stulbach ganhou destaque nacional em 2003, com o personagem Marcos, na novela “Mulheres Apaixonadas”. Possessivo e extremamente ciumento, Marcos agredia sua esposa, Raquel, vivida pela atriz Helena Ranaldi. Com tanta implicância em cima da mídia, esse personagem seria mal interpretado hoje?
"Espero que não. Porque é arte, porque é cultura. Após essa novela foi feita uma lei de proteção à mulher, que deixavam as coisas um pouco menos injustas, com punição aos homens violentos. A lei partiu do sucesso e repercussão da novela. O que engrandeceu meu trabalho. Fiquei muito feliz. Muito legal ser reconhecido, mas mais legal ainda é mudar alguma coisa efetiva no país. As mulheres passaram a falar mais disso, porque antes era um tabu. Hoje em dia, o personagem teria mais patrulha, sem dúvida. Mas seria importante igual".
A legalização das drogas no Brasil também foi pauta da conversa com Potter, Kelly e David. Ponderado, o novo âncora do CQC se disse não preparado para a resposta: “Sinceramente, eu posso dar minha impressão pessoal, mas eu acho muito pouco a minha impressão pessoal, ou minha sensação perante alguns assuntos. Eu tenho que aprender mais, tenho que ler mais, me preparar mais”.
Há oito anos, Dan Stulbach apresenta, na Rádio CBN, os programas “Hora de Expediente” e “Fim de Expediente”. Além disso, o ator tem comandado eventualmente o programa “Saia Justa”, no canal GNT. A boa notícia para os ouvintes é que o contrato na CBN continua, e que apenas alguns detalhes o separam de renovar com o canal de televisão.

“CQC” volta às origens em nova temporada e traz novidades no elenco

O CQC volta ao ar na próxima segunda-feira renovado para a nova temporada, com novos integrantes e um antigo membro que retorna ao programa. “Novas caras chegam e outras antigas retornam para resgatar o espírito crítico do CQC. O resumo semanal de notícias volta às origens como um clássico e bem humorado programa da TV brasileira”, diz Diego Guebel, diretor-geral de conteúdo da Band. 

Neste ano, Marco Luque divide a bancada com Rafael Cortez - que volta à trupe dos homens de preto - e Dan Stulbach. “É um orgulho integrar a equipe do programa. A minha expectativa, assim como a das pessoas que me abordam nas ruas perguntando sobre a nova temporada, é enorme”, afirma Stulbach. Dois novos repórteres, o criador de conteúdo para a internet  Erick Krominski, e o jornalista Juliano Dip, se juntam aos veteranos Maurício Meirelles e Lucas Salles. Independente e sempre atento, o programa vai trazer também novos quadros ao lado de outros já consagrados.

Proteste Já ressurge com Juliano Dip, que terá o desafio de equilibrar o tom urgente das denúncias com humor, acidez, espírito crítico e, principalmente, jornalismo investigativo. O CQTeste, um dos primeiros sucessos da atração, volta a ser apresentado em 2015 em um novo formato com Rafael Cortez, que empresta novamente sua ousadia para infernizar os famosos em frente às câmeras. “O segredo do CQC é ser um time, tanto na bancada quanto fora dela. Minha alegria é enorme por estar de volta ao programa e estou consciente que tenho que dar o meu melhor. E darei, estou aqui para isso”, confessa Cortez, bastante empolgado.

Dentre os novos quadros, o SAC - Serviço ao Consumidor vai mostrar, de um jeito divertido, como agem (ou deixam de agir) os prestadores de serviço no Brasil. Já o Choque de Realidade vai tirar os políticos de seus gabinetes e levá-los para enfrentar as ruas. Os repórteres vão desafiar prefeitos, vereadores, deputados e senadores para que encarem, olho no olho, os cidadãos que os elegeram. O quadro vai mostrar ainda políticos vivenciando na pele o que está acontecendo no dia a dia da população: transporte público, educação, saúde, entre outros tantos temas.

         No Simuladores, o objetivo é prevenir o público contra a ação de oportunistas que, na maioria das vezes, estão um passo à frente, esperando qualquer descuido para trapacear. Com a ajuda de câmeras escondidas e opiniões de especialistas, o CQC vai alertar a população sobre as principais modalidades de golpes e táticas de furto dessas quadrilhas.
Os homens de preto também serão cupidos nesta nova temporada. Com a ajuda de aplicativos de relacionamento, eles vão ajudar celebridades a encontrar sua cara metade por suas qualidades reais e não apenas por causa da fama no quadro Serviço de Atendimento para Famosos Solteiros. E, por fim, o Desafio dos Novos Repórteres vai dar aos novatos uma meta a cumprir: ser oficialmente premiado pelo Guinness Book, o livro dos recordes. Eles terão de desempenhar façanhas surpresas e dignas da conquista do prêmio mundial.

A nova temporada da atração conta com patrocínio das seguintes marcas: Ford, Itaipava, Nestlé e Sensodyne.

CQC vai ao ar todas as segundas-feiras, às 22h45, na tela da Band e também pelo aplicativo da emissora para celulares. Além da transmissão ao vivo, o aplicativo oferece o recurso de Segunda Tela, que disponibiliza conteúdo extra e bastidores do programa em tempo real.

domingo, 1 de março de 2015