quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

FOTOS: Marco Luque chora ao falar do fim do 'CQC' no último programa: 'Obrigado!'

Marco Luque se emocionou ao falar do fim do 'CQC' e foi consolado por Rafael Cortez nesta segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Marco Luque chorou ao falar do fim do 'CQC'. A atração não irá ao ar em 2016 por decisão da Band: 'Obrigado a oportunidade de conhecer pessoas. De se envolver em um projeto fera desse tipo. De tudo'

Marco Luque mostrou resultado de enquete feita na Internet. Telespectadores elegeram o fim do 'CQC' como pior notícia do ano

Rafael Cortez também lamentou o fim do 'CQC', durante o último programa ao vivo do ano: 'Aonde quer que eu vá, vou levar essa história comigo'

Rafael Cortez exibiu camisa com a logotipo do 'CQC' estampada

Rafael Cortez lembrou o início do 'CQC' em março de 2008: 'A gente estava com um tesão desgraçado de fazer esse programa como sempre tivemos'

Marco Luque chorou ao falar do fim do 'CQC'. Atração só volta ao ar em 2017


Clima de tristeza no último programa CQC da Band

Emoções fortes rolaram na transmissão do último CQC , na segunda-feira (21), na Band.

O apresentador Marco Luque caiu em prantos quando foi anunicar a pior notícia do ano, segundo uma enquete feita com telespectadores do programa. 

 Luque não guentou e soltou um desbafo: "Cara, que f..., último CQC ao vivo. Queria só agradecer. Obrigado a todo mundo. Obrigado pela oportunidade de conhecer pessoas, de se envolver em um projeto fera desse tipo. De ter passado esses oitos anos aqui...da equipe inteira, obrigado. E o fim do CQC foi a pior notícia do ano", disse. 

Além dele, Rafael Cortez também se manifestou lembrando da estreia do CQC, em 18 de março de 2008. Ele mostrou uma camiseta, que segundo ele foi usada no primeiro programa. "Nos dois anos que fiquei na Record, morri de saudade disso. Vou continuar pra sempre com o CQC estampado no peito. Pra onde quer que eu vá, vou levar essa história comigo", afirmou. 

A Band anunciou recentemente que o CQC vai dar uma pausa em 2016 para descansar o formato que já existe há quase oito anos no Brasil. O único da trupe que será mantido na emissora é o ator Dan Stulbach.

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Humoristas dispensados do "CQC" tiram sarro e pedem emprego no ar

Elenco não perdeu a piada e fez graça com a demissão em massa do elenco do jornalístico 


Parece que o final do ano chegou de verdade para os humoristas do "CQC". No programa de segunda-feira (14), os apresentadores e repórteres tiraram sarros de si próprios após a demissão em massa do elenco. Único que não foi dispensado pela Band, Dan Stulbach surgiu sozinho na bancada. 

Pouco depois, Rafael Cortez e Marco Luque apareceram dizendo que voltavam de uma entrevista de emprego. Stulbach então apresentou Cortez como o "mais novo desempregado do pedaço". Em uma referência a ex-colega Monica Iozzi que migrou para Globo, Cortez pediu emprego no ar: "Boninho, me leva". 

Antes de a atração ir ao ar, o apresentador do "CQC 3.0" Maurício Meirelles fez piada com o fim do programa e disse o elenco não terá mais de aturar político bandido, nem puxar saco de celebridade. Meirelles finalizou o discurso dizendo que as outras emissoras terão grandes talentos à disposição. "Mas não será nenhum de nós", ironizou. 

 Em seguida, ao lado de Luque, ele ainda tirou sarro dos humoristas dispensados. Analisou os currículos de cada um e sugeriu possíveis recolocações no mercado. Disse que Luque poderia virar boneco de posto, Cortez, animador infantil, e Juliano Dip daria um bom vendedor de churrasco grego.

"Ano sabático" Depois de oito anos na grade da Band, o "CQC" sairá do ar em 2016. Em nota divulgada a imprensa na última quarta-feira (9), a emissora informa que decidiu dar "um descanso aos homens de preto" e que o humorístico ganhará um "ano sabático" para "voltar com mais força" em 2017. 

Com 339 episódios ao longo de oito anos, o "CQC" revelou talentos como Rafinha Bastos, Monica Iozzi, Danilo Gentili, Oscar Filho e Felipe Adreoli e contou com participações de nomes como Dani Calabresa e Marcelo Tas. 

Fora da bancada do programa, Dan Stulbach está cotado para uma nova atração em 2016, "História não Escrita", que vai contar as principais passagens históricas a partir do descobrimento do Brasil. O último "CQC" vai ao ar no dia 28 com a retrospectiva dos melhores momentos do ano.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Repórter do "CQC" é disputado por dois departamentos na Band

O repórter Juliano Dip, atualmente no "CQC", vai migrar para o jornalismo da Bandeirantes em 2016. Pelo menos este é o desejo inicial da emissora, uma vez que o programa das noites de segunda-feira não será apresentado na próxima temporada.

Dip foi muito elogiado internamente devido ao trabalho na cobertura da tragédia de Mariana, em Minas Gerais, mas o jornalismo da Band não será sua única opção no ano que vem. Uma ala da Eyeworks, dona do "CQC", defende também sua entrada no elenco de "A Liga", para trabalhar ao lado de Mariana Weickert e Thaide. A definição vai acontecer nos próximos dias. 

Ainda sobre o "CQC", apesar de a Band ter garantido em comunicado que o programa voltará em 2017, 9 entre 10 profissionais envolvidos no programa não estão acreditando muito nessa história de ano sabático. Para eles, a atração, que terá sua última edição ao vivo dia 21, acabou e pronto. Em todo caso, a versão da emissora é outra e convém aguardar.

Rafael Cortez fala sobre fim do CQC e brinca com a Globo

Repórter disse que está disponível para novos projetos 

 Nesta semana, foi informado que o CQC não acabou, mas que tirará um “ano sabático” em 2016, saindo da grade da Band. 
Apesar de otimista com a volta do programa, Rafael Cortez não fecha as portas para outras emissoras e brincou até com diretor da Globo, Boninho, em entrevista ao programa Morning Show, da Rádio Jovem Pan. Na conversa, ele falou sobre o retorno do programa em 2017 e que a Band sempre cumpre o que promete. 
Porém, ele revelou que está disponível, caso outras emissoras queiram contratá-lo. Ele aproveitou a oportunidade para brincar com Boninho. "Ei você da Globo que me ouve! Estamos aí! Está me ouvindo Boninho?! (risos)", falou Rafael na rádio. O apresentador afirmou que o principal fato para o “fim” do CQC é a crise, mas também disse que a audiência não estava correspondendo, o número de anunciantes no programa não era significativo e que as pessoas teriam “cansado” do CQC. "O público vinha mostrando sinais de desgaste com esse projeto há algum tempo, as pessoas ficaram cansadas do CQC e é um processo natural. Eu não levei como algo pessoal e não fiquei chateado", disse.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Após o cancelamento do “CQC”, Dan Stulbach dispara: “O programa já estava cansativo”


Como já informado, a Band pegou todos de surpresa ao anunciar que o “CQC” estaria fora da grade de 2016, e que praticamente todo o elenco seria dispensado. 

Em entrevista para a coluna do jornalista Flávio Ricco, o apresentador do programa, Dan Stulbach, revelou que já havia um desgaste, mas que vai sentir falta do programa. “Sim. O programa já estava cansativo. […] Vou sentir falta do “CQC” no ano que vem”. 
Questionado sobre o recebimento da notícia, ele revela que foi pego de surpresa. “... (terça, 8), Diego Guebel, diretor da Bandeirantes, marcou uma reunião para a manhã desta quarta e fomos comunicados oficialmente sobre a decisão da emissora em não exibir o programa no ano que vem. Claro que fui pego de surpresa, porque gosto muito de fazer o “CQC”. Apesar de estarmos em um período de decisões, ninguém esperava”. 

Dan conta que estava até preparando uma festa de fim de ano. “Eu já estava inclusive combinando uma confraternização com toda a equipe do programa, um churrasco, para sexta-feira e vou manter o encontro. Será um momento para discutirmos tudo o que aconteceu”. 

 O ator diz que acredita que o programa volte. “Pelo menos foi o que o Diego me garantiu. Acredito no Guebel e não tem porque pensar diferente. Será um ano sabático para o programa. Vamos ao vivo até o dia 21 de dezembro e no mesmo dia gravaremos um especial, uma retrospectiva com os melhores momentos deste 2015”. 
Dan Stulbach e Diego Guebel da Band 
Ele espera que a Band desenvolva mais projetos de dramaturgia, com o fim do programa. “Inicialmente faremos uma série sobre história que pode chegar a seis capítulos. A duração vai depender do rendimento. O projeto é “História não escrita”, que vai contar as principais passagens históricas a partir do descobrimento do Brasil. Esta já está fechada, mas adoraria também desenvolver um roteiro de ficção. Trabalhar em um núcleo de dramaturgia foi algo já proposto durante a minha contratação, adoraria desenvolver esse trabalho na Band”. 

 No entanto, o ator acredita que no próximo ano possa estar livre no mercado de TV Aberta. “É provável que eu venha a trabalhar também em uma outra emissora aberta em 2016, uma vez que não terá a exclusividade do “CQC”, e sigo ainda com a ESPN, teatro e a rádio CBN. Tudo isso será discutido amanhã. A ideia é que eu desenvolva esses projetos sem ter exclusividade com o canal”.

Cancelamento do “CQC” pode indicar mudanças importantes na Band

Esta semana, a Band pegou muita gente de surpresa – inclusive funcionários – anunciando um “ano sabático” para o “CQC”, ou seja, o programa sairá do ar no final deste ano e deve voltar apenas em 2017. De acordo com o colunista José Armando Vanucci, apesar da promessa partir diretamente de Diego Guebel, um dos diretores da emissora, nos bastidores, pouca gente acredita que a atração voltará à grade de programação, já que praticamente toda a equipe, incluindo os repórteres, se desligarão do projeto. 

Segundo consta, o “fim” do “CQC” pode ser um sinal de mudanças administrativas importantes na Band. Isso porque, já há algum tempo, há rumores de que o grupo Warner vem negociando com executivos para comprar parte da emissora, de olho na área de entretenimento do canal. 
As suspeitas surgem principalmente porque o “CQC” é um dos principais programas da emissora, e é de propriedade intelectual da produtora argentina Eyeworks Cuatro Cabezas, braço direito do canal. 

Nos bastidores, alguns funcionários brincam dizendo que a Band passou a olhar menos para a Argentina e mais para os Estados Unidos, se referindo as negociações do canal com a Warner. Por outro lado, alguns vivem clima de apreensão. Muitos profissionais temem o modo de administração do grupo norte-americano em caso de acordo.
Elenco do CQC

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

"Renovação em TV é fundamental", diz Marcelo Tas sobre fim do CQC

Com autoridade de quem comandou a bancada do "CQC" por sete anos, Marcelo Tas afirma que, mesmo fora da TV em 2016, o programa deixa um saldo "extremamente positivo". 




 "O CQC contribuiu para renovação do humor brasileiro, vários novos talentos foram revelados e trouxe um novo frescor e irreverência à linguagem telejornalística, sobretudo para a cobertura política", afirmou Tas. Para o apresentador, é natural o final do ciclo. "Sou grato pelos sete anos que lá estive e desejo o melhor para meus ex-colegas de bagaça. Renovação em TV é fundamental, na frente e atrás das câmeras. O CQC acabou? Viva o CQC!", disse. 

Convocado para uma reunião nesta quarta com o diretor da TV Bandeirantes, Diego Guebel, Marco Luque foi informado sobre o fim do "CQC". 

O apresentador do programa confirmou ao UOL a surpresa com a decisão da emissora. "Fomos surpreendidos com a notícia, mas era uma possibilidade. Todo final de ano existe essa preocupação com relação à grade da próxima temporada. Existe uma avaliação das atrações e todo mundo fica na expectativa, na torcida. Nós não esperávamos porque nessa reta final o CQC estava indo muito bem. Televisão é isso", explicou Luque que estava ao lado de Maurício Meirelles e Rafael Cortez no encontro com os diretores. 




Meirelles também lamentou o fim do programa que é inspirado em um formato argentino. "Estou triste pelo fim do projeto, mas não pessoalmente. Na TV é assim que funciona... É uma profissão como qualquer outra. Dá certo continua, dá errado termina", afirmou o repórter para o colunista Flávio Ricco, do UOL. 



Luque confirmou que a direção da Bandeirantes garantiu que só seria um ano sabático para a turma do CQC. Em 2017, existe a possibilidade de um retorno. Um dos mais antigos integrantes do programa, que estava no ar há oito anos, ele não escondeu uma certo decepção. "Estou chateado e triste porque é uma perda, uma dor para nós integrantes de um programa que revolucionou a televisão brasileira. Foram oito anos de sucesso, sim, e isso é que fica marcado", comentou o apresentador cujo contrato termina no dia 31/12. Luque não sabe como vai ser o seu futuro na televisão. "Não tenho nada, não tenho uma proposta de outra emissora. Vamos esperar", declarou. 

Ex-integrantes lamentam fim do programa 



No Twitter, Monica Iozzi, que deixou o "CQC" em 2013, lamentou a suspensão do programa. "Lamento muito. O trabalho mais difícil que já realizei e do qual mais tenho orgulho. Uma pena...", disse ela. 



Integrante em 2014, Naty Graciano também se pronunciou sobre o fim do "CQC". No Facebook, ela desejou sorte à equipe demitida pela Band. "Fiz parte da história do programa que eu tanto admirava... Nunca esperei entrar e aconteceu! Por mérito meu! Graças a Deus! Agora, o CQC chega ao fim este ano! Tive momentos incríveis, entrevistei muita gente f... 'Bati' bastante a cabeça para dar o meu melhor... Enfim, valeu a pena! Estar na TV nacional no ano passado foi um sonho! Triste acabar assim... Sorte a todos profissionais que estão sem emprego! Eu também sigo buscando outro lugar para causar na TV!", escreveu. 




"CQC" entre 2008 e 2014, Oscar Filho agradeceu por ter feito parte do programa e mandou força aos profissionais. "Se tanta gente me para na rua é por causa deste programa. Graças a ele, muita coisa mudou na minha vida. Abraços aos amigos e colegas que ficaram e que não terão nenhuma dificuldade para voltar ao mercado de trabalho. Força aí, galera!!!", publicou no Facebook. 

Rafinha Bastos ironiza fim do "CQC" 



Rafinha Bastos encarou o anúncio da Band com ironia. Afastado do "CQC" em 2011 após dizer que "comeria" a cantora Wanessa Camargo e o bebê dela, o humorista publicou no Facebook uma carta dizendo que foi "figura decorativa" do programa, em referência à carta de Michel Temer a Dilma Rousseff, e que contava "as piadas que os outros não tinham coragem de fazer".

Acabam de noticiar que o CQC acabou. Não haverá a temporada 2016 do programa.Enviei esta carta ao CQC. Exatamente como...
Posted by Rafinha Bastos on Quarta, 9 de dezembro de 2015


Ronald Rios, repórter do "CQC" durante três anos, também fez piada com o fim do programa e o anúncio de que voltará em 2017. "É tipo quando a mina pede tempo para o cara e o cara fica cheio de esperança: 'Quando voltar, o sentimento vai ser maior'", cutucou no Twitter.

Band anuncia que "CQC" terá ano sabático em 2016 e volta em 2017


A direção da Bandeirantes, em reunião na tarde desta terça-feira (8), decidiu que o "CQC" ficará fora do ar durante todo ano de 2016. A informação é que o programa terá um "ano sabático". Em seu lugar, a ideia é aproveitar outros produtos, que possam no decorrer do tempo também fazer parte da grade.

Os profissionais que trabalham na produção do "CQC" foram comunicados nesta quarta-feira sobre a decisão. De acordo com um deles "o clima é de velório". Estão todos "arrasados" por lá, declara. Alguns repórteres do "CQC" que receberam a comunicação oficial da Band foram pegos de surpresa, como Juliano Dip que ainda estava em Brasília gravando para o programa.

Em comunicado, a Bandeirantes afirma que dará um "descanso para os homens de preto". "O intervalo entre as temporadas será estendido para que tenhamos tempo de voltar com mais força em 2017", afirma Diego Guebel, criador do formato e diretor-geral de conteúdo da Band.
De acordo com a assessoria da emissora, o apresentador Dan Stulbach é o único que segue contratado pela casa - no próximo ano, ele apresentará "História não Escrita". Já os demais integrantes da atração serão dispensados após o fim de seus contratos, ainda neste ano.
Diego Barredo, diretor geral da Eyeworks, já há alguns anos atuando como provedora de produtos para a Bandeirantes, entende que por tudo que representou, o "CQC merece esse descanso". No entender dele, o programa cumpriu plenamente o seu objetivo e soube colaborar com uma nova maneira de fazer televisão no Brasil. "Só tenho a agradecer à Band por manter o 'CQC' na grade durante todos esses anos. O caminho nunca foi esgotar a fórmula. Será um descanso saudável."
O programa estreou em 2008 e completa ao final de 2015 339 edições. Neste ano, Dan Stulbach assumiu o posto de apresentador que foi durante sete anos de Marcelo Tas.
 
Pelo programa, passaram nomes como Rafinha Bastos, Oscar Filho, Marco Luque, Rafael Cortez, Danilo Gentili, Felipe Andreoli, Monica Iozzi e Mauricio Meirelles. 

Elenco do "CQC" é dispensado e programa sai do ar em 2016

Dan Stulbach é o único da bancada que continua na emissora para novos projetos

Depois de oito anos na grade da Band, o "CQC" sairá do ar em 2016. Em nota divulgada a imprensa nesta quarta-feira (9), a emissora informa que decidiu dar "um descanso aos homens de preto" e que o humorístico ganhará um "ano sabático" para "voltar com mais força" em 2017.
"O intervalo entre as temporadas será estendido para que tenhamos tempo de voltar com mais força em 2017", afirma Diego Guebel, diretor-geral de conteúdo da Band. Outra mudança anunciada é a demissão da maior parte do elenco do humorístico, composto por Dan Stulbach,Rafael CortezMarco LuqueMaurício MeirellesLucas SallesJuliano Dip eErick Krominski. Ao iG, a assessoria de imprensa da emissora confirmou que apenas Stulbach segue contratado para futuros projetos da Band.
Com 339 episódios ao longo de oito anos, o "CQC" revelou talentos como Rafinha Bastos,Monica IozziDanilo GentiliOscar Filho e Felipe Adreoli e contou com participações de nomes como Dani Calabresa e Marcelo Tas.
Fora da bancada do programa, Dan Stulbach está cotado para uma nova atração em 2016, "História não Escrita", que vai contar as principais passagens históricas a partir do descobrimento do Brasil.
O último "CQC" vai ao ar no dia 28 com a retrospectiva dos melhores momentos do ano. 
*
*
PS: A Band ainda não sabe qual atração substituirá imediatamente o CQC - a grade de 2016 ainda não foi definida, segundo a emissora.
PS: A B

Ex-companheiros de "CQC", Rafinha Bastos e Marco Luque discutem no Twitter

Humorista comparou Luque a Michel Temer e recebeu resposta: "Se enforcou com a própria língua"

Os humoristas Rafinha Bastos e Marco Luque se envolveram em uma polêmica no Twitter nessa terça-feira (8). Pegando carona na carta divulgada por Michel Temer, Rafinha comparou o ex-colega de "CQC" ao vice-presidente da República.
"Foi parceiro no sucesso. Quando o bicho pegou, mandou uma carta de repúdio contra a aliada. Michel Temer, o Marco Luque da política", escreveu o ex-apresentador do "Agora É Tarde" em seu perfil na rede social. Na época em que Rafinha Bastos foi demitido do "CQC" por uma piada sobre o bebê de Wanessa Camargo, em 2011, Luque escreveu uma carta de repúdio aos comentários do colega.
A resposta do apresentador do "CQC" não demorou para chegar. "Hahahaha a 'aliada', assim como você, se enforcou com a própria língua", disse Luque.
Rafinha continuou ironizando. "Pesquisas apontam que o número de suicídio por enforcamento é 32 vezes menor que o enforcamento por ataque de jiboia", provocou o comediante, desta vez sem resposta de Marco Luque.