sábado, 30 de janeiro de 2016

Após queda de braço, ex-repórter do "CQC" estreia no "Jornal da Band"

Juliano Dip, ex-integrante do extinto "CQC", estreou nesta quinta-feira (22) como repórter do "Jornal da Band", comandado pelo âncora Ricado Boechat.



Em sua primeira pauta, Dip falou sobre os riscos do uso do termogênico, um tipo de suplemento consumido por quem frequenta academias. Dip trabalhou por sete anos na rádio CBN, do Grupo Globo, mas deixou a emissora no ano passado, após convite para integrar a equipe de repórteres do "CQC". 

A Band, no entanto, anunciou o fim temporário do programa em dezembro, nove meses depois de sua contratação. Segundo o colunista do UOL Flávio Ricco, o trabalho do jornalista foi bastante elogiado internamente devido à cobertura da tragédia em Mariana, no interior de Minas. Na ocasião, Dip e equipe foram expulsos de uma coletiva de imprensa pela mineradora Samarco. 

A emissora, então, decidiu reaproveitá-lo em outro departamento, o que teriaprovocado uma queda de braço nos bastidores. A direção da Band queria Dip no Jornalismo. Já uma ala da Eyeworks, dona do "CQC", defendia a sua entrada no elenco de "A Liga". No fim, venceu o Jornalismo.

Sua estreia foi sobre esta reportagem pode ser assistido aqui:

video


---------
O Blog está voltando no tempo e postando a série da Megaliga CQC novamente!!! :D
O primeiro episódio já foi postado. 

"Pânico" contrata Lucas Salles, ex-repórter do "CQC"

O "Pânico", da Bandeirantes, que recentemente perdeu o palhaço Tiririca, continua reforçando o seu elenco para esta temporada. Depois de anunciar a volta de Fábio Rabin, o programa acaba de fechar a contratação de Lucas Salles, ex-repórter do "CQC". 



Lucas já era fã do Pânico e conhecido dos outros integrantes e, ao receber o convite, logo após o fim do "CQC", se sentiu muito surpreso. "Foi uma das maiores surpresas da minha vida. Eu nunca, jamais, pensei que isso fosse acontecer. Sou fã de carteirinha de todos os integrantes e assisto ao programa desde moleque, sabe? É como se eu fosse chamado para fazer parte da 'Liga da Justiça'!", conta Lucas. 

No Pânico ele fará parte dos quadros que envolvem dramaturgia, junto com Diego Becker, Eros Prado, Carlinhos, Eduardo Sterblitch, Gui Santana e Carioca, mas, a direção do programa não descarta a participação dele em outras situações, como na cobertura de eventos, por exemplo. "Tem muitas novidades e minha expectativa é apenas me divertir fazendo um bom trabalho (tomara que Deus permita)! Me divertir muito, é isso. E é óbvio que vai ser fácil porque não tem como não se divertir no 'Pânico'." 

Sobre a transição de programas, Lucas se sente realizado em poder trabalhar em duas atrações que ele cresceu assistindo e que seguem a linha de humor. "É o começo de uma realização de um sonho de criança. Assim como o 'CQC', cresci assistindo ao 'Pânico'. Do ponto de vista profissional, ir para um programa que está há treze anos no ar, que fez e ainda faz história na TV brasileira, é sem sombras de dúvida um presente divino. Poder continuar no humor é um presente que o 'Pânico' me deu e eu espero (e vou) honrá-lo". 

O "CQC", conforme anunciado pela Band, terá um ano sabático neste 2016, mas existe a promessa de voltar ao ar no ano que vem, com outros integrantes. Fábio Rabin e Salles já vão mostrar serviço no primeiro "ao vivo" do Pânico nesta temporada, no próximo domingo. Isso mostra, ainda, a preocupação da atração liderada por Emílio Surita em renovar sua equipe. 

Outras novidades estão previstas para ainda este ano. A partir do dia 31, o "Pânico" também apresentará novos cenários: "Além do conteúdo criativo, marca registrada do programa, na temporada 2016, a partir do dia 31, o Pânico volta com identidade visual totalmente reformulada e em novo cenário: 'Mudamos a arquitetura do estúdio para ganhar mais espaço interno. Painéis de led circundam todo cenário dando um aspecto moderno e facilitando a mudança de ambientação no programa', diz Diego Guebel, diretor-geral de conteúdo da Band. As novidades também incluem novo logo, nova trilha sonora e uma abertura diferente com animações construídas em cima de imagens reais', diz o comunicado.

------
O blog está voltando no tempo e postando a série da Megaliga CQC novamente. O primeiro episódio já foi postado. ;)

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Voltando no Tempo - Megaliga CQC Episódio 1

Bom pessoal, eu não quero deixar esse blog abandonado como um memorial.
Então, pelo menos neste ano (sabático) eu vou postando aqui e ali oq até hj foi feito da série Megaliga CQC, okay?
Pra quem me acompanha desde 2009 espero q gostem de rever os episódios e animação. E para quem me acompanha em anos ou meses recentes vejam como eram postadas as histórias da Megaliga CQC. Aproveitem o PRIMEIRO EPISÓDIO DE TODOS, postado na estréia do blog - dia 23 de Outubro de 2009.

Por favor, curtam esse video e se inscrevam no canal da Megaliga CQC no Youtube, blz? :) Tô repostando os eps 1 ao 15 lá pq antes estavam no meu canal pessoal. Abraços,

 
Ano: 2009

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

NOTA: Band substitui 'CQC' por programa de turismo com famosos

Wanessa, Joelma, Tati Quebra Barraco, Luan Santana e Gusttavo Lima estão na lista para participar do novo programa 

A Band não pretende deixar vago por muito tempo o espaço que o "CQC" deixou em sua programação. 

Agora a emissora trabalha em segredo com o projeto de um novo programa para estrear em breve chamado "Bate Volta". 

Segundo o jornal 'Folha de S. Paulo' a ideia do formato é acompanhar duplas de famosos em viagens para destinos inusitados, com câmeras seguindo-os durante o trajeto. A emissora já deu sinal verde para a atração, que está em fase de escalar o time de convidados. 

Jurados do "MasterChef", a especialista em moda Gloria Kalil e cantores como Wanessa, Joelma, Tati Quebra Barraco, Luan Santana e Gusttavo Lima estão na lista. A ideia é formar duplas que tenham pouco ou quase nada em comum, revelou a publicação.

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

"O fim do CQC" (Por Gabriel Bocorny Guidotti)

Gabriel Bocorny Guidotti é jornalista e escritor 

"Em 2008, quando do início do programa Custe o Que Custar (CQC), a Rede Bandeirantes apostava num formato que era sucesso em outros países. O conteúdo investigativo, salpicado de bom-humor e focado no serviço à população, fez do CQC um sucesso em seus primeiros anos. Dali brotaram alguns talentos até então desconhecidos do público brasileiro. Destaque-se Monica Iozzi, atualmente na Globo, e Danilo Gentili, que comanda seu próprio programa de talk show no SBT. 

À época, o programa surgiu como uma alternativa ao baixíssimo nível – em conceito e conteúdo – do humor na televisão brasileira. Sem apelação, não havia esquete que se destacasse na telinha. Nesse sentido, o CQC promoveu uma reformulação, sob a premissa de “humor inteligente”. Incapaz de lidar com o formato, o Senado Federal proibiu o acesso de repórteres do programa. Prefeituras e empresas privadas também sofreram nas mãos da postura incisiva e investigativa de Marcelo Tas e companhia.

De 2008 a 2015, o mundo mudou. Os gostos da audiência se adaptaram. E a crise dos veículos de comunicação se agravou. Em vista disso, a Band anunciou a exclusão do CQC em sua grade de programação para 2016. Em comunicado, a emissora declarou que o programa passará por um “ano sabático”, para retornar somente em 2017. Difícil de acreditar. A bem da verdade, o formato se esgotou. 

A adição e remoção de produtos faz parte do contexto de todas as empresas que ambicionem permanecer competitivas." 

Do sucesso à derrocada 

"Enquanto sustentado pela proposta de investigação, o CQC teve êxito. Revelou mazelas gravíssimas, especialmente as relacionadas ao poder público. Nos últimos anos, todavia, a despeito da reforma que tirou Marcelo Tas da bancada e colocou o ator Dan Stulbach no lugar, o programa caiu demais em qualidade. Passou a apostar exclusivamente na polêmica como forma de conquistar o público. Além disso, as edições começaram a ditar o ritmo das reportagens. 

Em inúmeros casos, as matérias não tiveram pudor de cortar depoimentos que favorecessem a voz das pessoas ou empresas que o programa acusava. Isso é o que de mais nocivo há na imprensa. Mas o início da queda do programa é anterior. Um dos principais pilares do CQC era o polêmico Rafinha Bastos, que indiscutivelmente se destacava sobre os demais. O problema de Rafinha? Ausência de freio. Ele não sabia medir suas palavras. Num comentário isolado, disse que “comeria Wanessa Camargo e o bebê”. A declaração foi espetacularizada pela mídia. A indignação de Wanessa virou a indignação de todas as mães do Brasil. Rafinha foi afastado, mas depois retornaria à Band. Retornaria para sair novamente do extinto Agora é Tarde. 

O CQC ficaria à deriva, com mais do mesmo. Matérias sem sal, repetitivas, que apostavam menos na informação e mais na polêmica. O humor também se tornou apelativo, com excesso de palavrões. Apesar de um começo promissor, nem Stulbach foi capaz de levantar um formato falido. 

O CQC foi vitimado por um mal que assola a TV brasileira. O desespero pelo ibope – em constante queda com a competição da internet – está levando as emissoras a fazer programas que garantam números, não importando os meios. Enquanto produzia jornalismo, o CQC funcionou. Se, de fato, voltar em 2017, a Band deverá trazer de volta o que deu certo. De outro modo, a memória da televisão brasileira ganha um novo capítulo."  ***

sábado, 2 de janeiro de 2016

NOTA: Programa esportivo pode ocupar a vaga do CQC, da Band, diz site

A Band estuda a possibilidade de lançar um programa esportivo de debates no lugar do CQC, de acordo com o site Na Telinha. 

É um segmento que traz retorno financeiro à emissora. O humorístico vai tirar um ano sabático e só retornará à grade em 2017. A direção ainda pensa no formato do novo programa que será apresentado ao público. “O intervalo entre as temporadas será estendido para que tenhamos tempo de voltar com mais força em 2017”, afirma Diego Guebel, criador do formato e diretor-geral de conteúdo da Band. 

O CQC era exibido nos finais das noites das segundas-feiras. Hoje, a Band possui os seguintes programas esportivos: “Jogo Aberto”, “Os Donos da Bola”, “Band Esporte Clube”, “Gol – O Grande Momento do Futebol” e “Terceiro Tempo”.